Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
segunda, 09 novembro 2015 16:55

Palavras do Imam Hussein (a paz e a benção de Deus esteja sobre ele), na epopeia de Hussein, 9ª parte

Palavras do Imam Hussein (a paz e a benção de Deus esteja sobre ele), na epopeia de Hussein, 9ª parte
      Neste texto familiarizá-los com a filosofia do Imam Hussein (a paz seja com ele) na aceitação consciente de seu martírio.

 

 

O Imam Hussein antes de deixar a Mina, na Meca, num sermão, informou sobre o seu martírio iminente e de seus companheiros leais. Pode surgir uma questão, o que significa que a pessoa ir ao seu martírio conscientemente e sabendo o seu destino e aceitar ser morto, caso de suporte de vida é uma obrigações do Islã?

Em resposta a esta questão é dizer, o que obrigou o Imam Hussein neste caminho foi à base da sua crença. A mais importante base que levou o Imam à luta era o Alcorão e a preservação das tradições. No sagrado Alcorão se lê dezenas versículos em relação a Jihad (combate) e a luta contra a tiranía e corrupção. Em nenhuma desses versículos, a Jihad não está condicionada com a vitória e o conhecimento, mas a luta e o sacrifício contra os inimigos do Islã e o martírio no caminho para atingir a vitória é um dos sinais dos devotos. Como no versículo 111 da surata “o Arrependimento” se lê:

“Allah cobrará dos fiéis o sacrifício de seus bens e pessoas, em troca do Paraíso. Combaterão pela causa de Allah, matarão e serão mortos. É uma promessa infalível, que está registrada na Tora, no Evangelho e no Alcorão. E quem é mais fiel à sua promessa do que Allah? Regozijai-vos, pois, a troca que haveis feito com Ele. Tal é o magnífico benefício”.

 Neste versículo lutar contra os inimigos de Deus não está condicionado ao princípio da vitória. Mas às vezes é acompanhado de morte e morrer não importa o que importa é cumprir o seu dever. Diferentes palcos históricos da vida do Enviado de Deus também testemunham este assunto, pois o Profeta, inclusive em guerras desiguais e contra inimigos mais fortes, esforçou-se por lutar, sem importar-lhe inclusive que às vezes perdia os mais queridos membros de sua família. Portanto, o Imam Hussein, seguindo do Alcorão e a tradição do Profeta, quando entendeu que a salvação do Islã e os muçulmanos, sozinho passavam com sua oposição e seu levantamento, não aceitou a tiranía e resistiu valentinamente.

 

 

 

Add comment


Security code
Refresh

Enlaces