Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
Friday, 15 May 2015 06:32

Ferdusi, poeta de todos os tempos

Ferdusi, poeta de todos os tempos
      Este programa dedica-se à comemoração ao grande poeta iraniano, Abolghasem Ferdusi e sua obra Shahname ou "Carta dos reis".

 

 

Abolghasem Ferdusi é um dos famosos poetas persas quem escreveu uma das maiores epicos do mundo. No Irã denominaram no dia 15 de maio como o dia da comemoração a Ferdusi. Todos os anos, se celebram cerimónias em seu mausoléu na cidade de Tus, bem como nas universidades homenagiando este eminete poeta.

Ferdusi foi um dos eruditos mais influentes do Irã. Passadas muitos anos da criação de “Shahaname”, mas ainda seus belos contos chama a atenção de qualquer leitor. Como se Rostam, o seu heroi lendario no Shahnameh tivesse passados todo o território iraniano e em cada lugar tem deixado uma memória permanente. Ainda nas paredes das tradicionais casas de cha em qualquer parte do Irã, podemos ver pinturas com as imagens das pesonagens hericos de contos de Shahname, e os narradores contando as valentias de Rostam, os contos de Siavash ou a tragédia de Sohrab, leva à gente à remota terra mítica.

Shahname é a história milenaria do Irã e os iranianos, o qual reflete a criação do homem, a perfeição da civilização humana, e a luta contra a maldade. Shahname é tesouro da herança milenaria do povo iraniano, e a enciclopedia do pensamento persa, pelo que devemos apreciar-o.

Ferdusi nasceu em 940 na aldeia Baji em Tuas, na província de Khorasan. Ele vivia numa época em que as lendas e contos históricos tiveram muitos partidários. Naqueles tempos, o povo narrava os contos antigos e recordava a glória dos antepassados. Nas festas e reuniões os narradores contavam as poesias antigas e aqueciam entusiamando a população. O conjunto destes contos, tristezas, alegrias e lembranças da epopeia nacional, eternizando-a no Shahname de Ferdusi.

Shahname de Ferdusi, de facto, é uma colecção particular dos "mítios iranianos", "Epopeias heroicas", "contos históricos e semi-históricos", "as lendas e contos heroicos curtos e longos".

Ferdusi tem traçado todos estes contos no marco da história do povo iraniano, desde o princípio até a chegada do islão ao Irã. 

Este livro é uma coleção dos recuerdes mais antigos tribais, a situação social e a vida de diferentes estratos sociais, os costumes e tradições, os pensamentos filosóficos, e os sentimentos épicos dos iranianos até a época dos sasánidas.  O tema principal deste livro é o passado do Irã e os altos e baixos da história do povo iraniano. No Shahname de Ferdusi traçam-se diversas épocas mitológicas, heroicas e históricas, bem como diferentes personagens. A época mitológica de Shahname começa desde Keyumars, o primeiro rei e termina com o aparecimento de Fereydun. O levante de Kaveh, o ferreiro até a morte de Rostam forma a secção de heróis de Shahname. As invasões de Alexandre a uma parte do Irã, bem como o governo de Sasánidas representam a parte histórica de Shahname.

A luta sem fim entre a bondade e maldade, a constante ênfase na opresão e luta contra a tiranía, assim mesmo, falar da vida curta do homem e do mundo reflete a figura humana de Ferdusi e a natureza filosófica e moral do seu livro, o Shahname. A meditação nos contos de Shahname mostra que o fracasso ou o triunfo não se separam de motivos visíveis e invisíveis.  O destino dos reis ou heróis devém de sua própria bondade e maldade. A sabedoria de Ferdusi baseia-se na luta entre bondade e maldade.

O Shaname tem sido traduzido em diferentes línguas. Ainda que não se pudesse tranmitir a sutileza artística e a espressão poetica de Shahname, mas, Shahname é o espelho da cultura de uma nação com uma diferente civilização e costume, a grandeza do livro tem deixado sua influência em outras nações.

Os literatos do mundo têm entendido as mensagens humanas e pensamentos subtis de Ferdusi, e reconheceram-no como um legado permanente da cultura humana. Alguns o consideraram a melhor obra mestre literária do mundo.  Jan Rypka no livro da história da Literatura do Irã escrveu sobre Shahname:

"É evidente que no mundo nenhuma nação como a iraniana conta com uma epopeia tão apreciavel que contenha todos os costumes históricos desde a época mitológica até as meiadas do século VII.”

Evgeny Edvardovich Berthels, o grande orientalista russo acha que "para sempres e até no mubdo existir o conceito iraniano, vai permanecer o nome deste grande poeta que tem dedicado todo o seu amor à sua pátria".

Fritz Wolff, o investigador alemão e o autor do dicionário de Shahname, considera o Ferdusi como o melhor poeta épico no mundo. Segundo ele, Shahname sem dúvida é uma grande obra que representa para os ocidentais e europeus, a cultura, a civilização e a identidade dos iranianos.  Embora, o Shahname de Ferdusi seja o símbolo das crenças dos iranianos, com seu estudo, podem-se conhecer os mitos, a geografia, a história, a filosofia, a cultura, a língua e a arte do Irã antigo. Esta preciosoa obra mestre não se limita em fronteiras geográficas. Eu considero o Ferdusi superior que outros poetas que tiveram escrito epopeias. Ferdusi tem tão domínio em seus escritos, que nenhum filósofo, historiador ou poeta pode competir com ele.  Indubitavelmente, pode-se dizer que em Shahnameh encontramos as palavras mais bonitas sobre a luta e a vitória.

Shaname ainda tem a capacidade de apresentar ao mundo os aspectos desconhecidos da literatura épica. 

Terminamos nosso programa com os ditos de Helmut Butsher, o poeta austriaco sobre Ferdusi e Shahname.

"Ainda que, Ferdusi tivesse escrito Shahname como um documento da língua, identidade, civilização e a literatura persa, mas devemos admitir que os mitos ocidentais não pudessem competir com os heróis de Ferdusi. Estudando a literatura de alguns países, pode-se descobrir a influência dos contos de Ferdusi nos contos épicos do Occidente e a antiga Europa. A paz, a bondade, a sabedoria, a mística, a cavalaria, e a vida alumiam-se em toda a obra de Ferdusi. Durante as últimas décadas, a maioria dos vizinhos do Irã, entre eles, os árabes, turcos e índios têm conhecido mais o Shahname, e têm traduzido esta obra mestre na sua língua materna. Estudando as poesias de Shahname, podem-se encontrar os rasgos da sabedoria, justiça, solidariedade, liberdade e idealismo. Uma obra mestre como Shahname, como um símbolo do pensamento, civilização, estético e heroísmo tem surpreendido a muitos. Ferduso na sua obra singular, com uma línguagrm épica e gloriosa, narra à grandeza e o heroísmo dos iranianos. Esse grande poeta tem apresentado ao mundo o seu livro deshahname como uma colecção da liberdade e humanidade".  

 

 

 

Add comment


Enlaces