Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
Tuesday, 08 March 2016 07:25

Panorama da poesia da Revolução (4)

Panorama da poesia da Revolução (4)
Saudações a todos os nossos estimados amigos, estamos com mais outra edição do programa “Panorama Poesia da Revolução”. Tais como programa anterior hoje também vai ser analisado outras características da poesia da revolução.

Anteriormente, tínhamos dito que, com a vitória da revolução islâmica, foram revividas algumas das formas clássicas da poesia persa tais como lírica, quadras, masnavi e odes que pouco a pouco foram evoluídas. Na semana passada falamos de poesia lírica da revolução e hoje vamos apresentar a evolução de estilos quadras e masnavi. Na literatura persa moderno, masnavi ainda provado um meio útil para poetas da revolução ao renovar o seu conteúdo.

Masnavi é um dos gêneros poéticos que tem sido usado principalmente por poetas persas para expressar os conceitos como guerra, lúdico e tristeza, e também foi de caráter didático, especialmente abordando questões místicas e heroicas, portanto, duas grandes clássicas persas, o Shah-Nameh de Ferdosi e Masnavi de Molavi foram escrito na forma poética de masnavi.

A sua forma por motivo de liberdade em uso de variedades de rimas, desde sempre tem sido apreciado por poetas narradores. Em geral, masnavis são feitas por capítulos e o poeta tem possiblidade de introduzir uma serie de questões, alguns consideram como necessário ou obrigados de mencionar e outros adicionados em critério do poeta, ou seja, no meio da sua composição de expressar circunstancias e o tema principal, para contar um conselho e uma forma didática, o poeta muda a ordem.

Após a vitória da revolução islâmica no Irã (1979), este gênero foi muito apreciado por poetas, porque, masnavi pela sua capacidade específica, particularmente na escolha de rima livre e no seu hemistíquio variado teve um lugar especifico entre poetas.

Os poetas da geração da revolução esforçaram, assegurando as fronteiras clássicas no masnavi, pelo conteúdo rever e reconstruir o seu estilo poético.

O comprometimento para fazer uma inovação na masnavi surgiu de formas variadas e diferentes nas realizações poéticas.

Por exemplo, esta inovação em algumas obras de poetas tem sido testada juntamente com outras métricas poéticas, porem, a origem desta inovação tem sido apenas na utilização das palavras e termos. Como exemplo, poetas como Abdol Malekian e Salman Harati que acostumavam compor no estilo moderno de Nima, em suas raras composições no estilo masnavi utilizaram as mesmas caraterísticas da linguem moderna e da poesia moderna, isto ofereceu uma imagem sentimental, palpáveis e instantâneas.

Entre os poetas contemporâneos das métricas masnavi, por excelência, podemos mencionar Ali Moal-lem e Ahmad Azizi. Cada um deles em uma forma engenhosa tem criado uma nova maneira de compor masnavi e conseguiram influenciar outros poetas da geração da revolução.

Ali Moal-lem é um poeta que em seus masnavis se vê reflexão dos valores de pensamentos genuínos religiosos. O escopo das informações do poeta, por vezes, exige um comentário e interpretação para entender melhor o conteúdo de seus poemas. O mais destacado nos masnavis de Moal-lem é a sua viva linguagem épica e heroica, sempre caraterizados por visão religiosa e histórica.

Ahmad Azizi, outro poeta de gênero masnavi, no quadro de poeta da revolução, tem conseguido evoluir com a sua própria linguagem e com as suas imaginações, as métricas de masnavis. Uma das principais características da linguagem Azizi é a sua composição poética. As novas composições nas obras de Azizi são muito importantes e têm dobrado a frescura e vivacidade de seus poemas. Ahmad Azizi tem introduzido o naturalismo na masnavi e, portanto, tem atraído muitos poetas. Sem exagero pode se afirmar que Azizi ocupa na poesia de hoje um lugar especial.

Outras formas da métrica tradicional que também foram evoluídos após a revolução, são as quadras e dísticos.

Os anos 1979 a 1991 são considerados o tempo da renovação e avivamento das formas de quadra e dístico. A percepção correta da capacidade métrica deste estilo poético e também as alterações linguísticas e as noções de poesia moderna, tem reavivado e fortalecido essas velhas métricas de poesia persa.

Os falecidos Hassan Hosseini, Qeisar Amin Pour e também Mohammad Reza Sohrabi-Nejad estão entre os pioneiros que promoveram bem este gênero poético.

Atenção pela melodia interna, usar as novas composições para a frescura e a inovação da linguagem- apresentação de imagens instantâneas e criar mudanças subjacentes no conceito dos poemas- as quais influenciadas pela revolução e a guerra imposta, são outras características da métrica quadra e dístico.

Queridos amigos, na próxima edição vamos aprofundar mais as características e componentes de poesia da revolução. Convidamos, desde já para estar conosco na próxima semana. Até lá.

Add comment


Enlaces