Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
Wednesday, 29 July 2015 21:23

A Estrada para a Luz, a surata Bácara (A Vaca), versículos 85-89 (Parte 20).

A Estrada para a Luz, a surata Bácara (A Vaca), versículos 85-89 (Parte 20).
Nos versículos anteriores, aprendemos que o Alcorão Sagrado, acusou os judeus por atos de oposição, contraditórios e discriminações que sentiam antes dos julgamentos de Deus e ameaçando-os com as punições severas, especialmente sobre todo que eles agem com os pequenos mandamentos, mas frente aos fundamentos mais importantes, nomeadamente a lei que proíbe o derramamento de sangue e desalojamento de seus correligionários, de suas casas se opõem, antes de detalhar esta questão que lhes oferecemos nos versículos 85 e 86 da surata de Bácara, estes versículos mostram os resultados da teimosia do homem e sua razão. Ouvimos estes versículos:   ثم أنتم هؤلاء تقتلون أنفسكم وتخرجون فريقا منكم من ديارهم تظاهرون عليهم بالإثم والعدوان وإن يأتوكم أسارى تفادوهم وهو محرم عليكم إخراجهم أفتؤمنون ببعض الكتاب وتكفرون ببعض فما جزاء من يفعل ذلك منكم إلا خزي في الحياة الدنيا ويوم القيامة يردون إلى أشد العذاب وما الله بغافل عما تعملون  No entanto, vede o que fazeis: estais vos matando; expulsais das vossas casas alguns de vós, contra quem demonstrais injustiça e transgressão; e quando os fazeis prisioneiros, pedis resgate por eles, apesar de saberdes que vos era proibido bani-los. Credes, acaso, em uma parte do Livro e negais a outra? Aqueles que, dentre vós, tal cometem, não receberão, em troca, senão aviltamentos, na vida terrena e no Dia da Ressurreição, serão submetidos ao mais severo dos castigos. E Deus não está desatento em relação a tudo quanto fazeis. (Bácara: 85) أُولَئِكَ الَّذِينَ اشْتَرَوُا الْحَيَاةَ الدُّنْيَا بِالْآخِرَةِ  فَلَا يُخَفَّفُ عَنْهُمُ الْعَذَابُ وَلَا هُمْ يُنْصَرُونَ São aqueles que negociaram a vida futura pela vida terrena; a esses não lhes será atenuado o castigo, nem serão socorridos. (Bácara: 86) As duas tribos judaicas se chamavam Bani Qoraize e Bani Nazir, estas duas, ao mesmo tempo tinham relações parentescos, e devido aos interesses mundanos estavam opostas umas a outra, a Bani Nazir se juntou a ribo de Khazraj que eram politeístas de Medina e Bani Qoraize se  incorporaram à tribo de Os. Nas guerras que ocorreram entre a tribo de Os e Khazraj, tribos judaicas ajudaram o grupo do seu aliado e mataram de outras tribos, quando o fogo da guerra se aliviou, ambas as tribos judaicas se reuniram para que, através de compensação e uma indemnização libertam  seus prisioneiros e este ato com base no julgamento e da lei da Torá, isso ocorreu sob as condições em que Os e Khazraj, ambas  eram politeístas e não estavam  permitidas a ajudá-los e, por outro lado, como a Tora havia ordenado à libertação de prisioneiros, havia também ordenado à remoção do assassinato e derramamento de sangue. Estes versículos mostram esta realidade que os judeus foram levados por seus desejos sensuais e não para seu livro celestial, porque em cada lugar que as instruções mandamentais estavam conforme com o seus gostos aceitavam e onde não eram assim, não foram aceitos e, portanto, não hesitavam certamente de cometer pecado. O versículo a seguir menciona a raiz dessa teimosia dos problemas que eles estavam procurando na vida mundana e material e só atuavam segundo as instruções que asseguravam seus interesses e, mas estavam desatentos aos que pertencia a outro mundo. Com este amor ao mundo e pecado, todavia os judeus alegavam que não seriam punidos, mas contra esta falsa esperança e desejo, o versículo notifica que eles também, como qualquer infrator seriam punidos por seus atos contrários e ninguém vai ajudá-los. Depois, em outra parte do Alcorão Sagrado, lemos:   َولَقَدْ آتَيْنَا مُوسَى الْكِتَابَ وَقَفَّيْنَا مِنْ بَعْدِهِ بِالرُّسُلِ  وَآتَيْنَا عِيسَى ابْنَ مَرْيَمَ الْبَيِّنَاتِ وَأَيَّدْنَاهُ بِرُوحِ الْقُدُسِ  أَفَكُلَّمَا جَاءَكُمْ رَسُولٌ بِمَا لَا تَهْوَى أَنْفُسُكُمُ اسْتَكْبَرْتُمْ فَفَرِيقًا كَذَّبْتُمْ وَفَرِيقًا تَقْتُلُونَ Concedemos o Livro a Moisés, e depois dele enviamos muitos mensageiros, e concedemos a Jesus, filho de Maria, as evidências, e o fortalecemos com o Espírito da Santidade. Cada vez que vos era apresentado um mensageiro, contrário aos vossos interesses, vós vos ensoberbecíeis! Desmentíeis uns e assassináveis outros. (Bácara: 87) وَقَالُوا قُلُوبُنَا غُلْفٌ  بَلْ لَعَنَهُمُ اللَّهُ بِكُفْرِهِمْ فَقَلِيلًا مَا يُؤْمِنُونَ Disseram: Nossos corações são insensíveis! Qual! Deus os amaldiçoou por sua incredulidade. Quão pouco acreditam! (Bácara: 88) Estes versículos sinalizam a bênção contínua de Deus para a direção de homem, Deus tem enviado profetas como Moisés e Jesus à tribo dos filhos de Israel com piores desejos sensuais e o amor pelo mundo, caso que eles desmentem os profetas e até mesmo mataram alguns deles, pessoas rebeldes tomavam esse pretexto que não entendiam as palavras dos santos profetas. O Alcorão em resposta rejeita este pretexto e notifica que o espírito de insistência e ocultar a verdade causa que um grupo não seja capaz de compreender a verdade e crer  menos. Em princípio seguir os desejos sensuais, faz com que as cortinas grossas de egoísmo ocultassem o pensamento e o coração do homem e as realidades e verdades somente pudessem ser consideradas e vistas por mesmo olho que era, aparentemente, materialista, e de fato os conhecimentos divinos e celestiais são negados, em esta mesma relação, o versículo 89 de surata de Bácara se semeia os princípios do Islã e diz: وَلَمَّا جَاءَهُمْ كِتَابٌ مِنْ عِنْدِ اللَّهِ مُصَدِّقٌ لِمَا مَعَهُمْ وَكَانُوا مِنْ قَبْلُ يَسْتَفْتِحُونَ عَلَى الَّذِينَ كَفَرُوا فَلَمَّا جَاءَهُمْ مَا عَرَفُوا كَفَرُوا بِهِ  فَلَعْنَةُ اللَّهِ عَلَى الْكَافِرِينَ Quando, da parte de Deus, lhes chegou um Livro (Alcorão), corroborante do seu – apesar de antes terem implorado a vitória sobre os incrédulos – quando lhes chegou o que sabiam, negaram-no. Que a maldição de Deus caia sobre os ímpios! (Bácara: 89) Os judeus com base dos indícios que tinham aparecido na Torá sobre o profeta do Islã estavam esperando o seu aparecimento e, portanto, da sua cidade e terra haviam migrado para a Arábia e tinha dito aos politeístas de Medina que em breve seria designado um profeta chamado Mohammad que temos fé nele e ele vai derrotar seus inimigos, quando o Profeta emigrou para Medina, os politeístas de Medina acreditam nele, mas os judeus por causa do fanatismo e cultos por mundo negaram e, na verdade, eles negaram os que tinha aparecido na Torá, em geral, os versículos acima mencionados nós ensinam que frente às instruções e mandamentos divinos devemos render-se e não agir de acordo com nosso gosto e temos que aceitar que em este caso, nós obedecemos aos mandamentos divinos e não o nosso desejo sensual e, devemos considerar o Deus naquilo que fazemos e sabemos que se negamos a Deus, Ele está consciente de todas as nossas ações e o outro ponto é que a felicidade e a opressão do homem depende dele mesma, se um grupo é o objeto da ira de Deus pelo ateísmo e politeísmo e se o Deus prepara os meios de condução, todo o mudo, deve ter em conta esta questão e prestar atenção que todos os homens são iguais perante a lei de Deus.  

Add comment


Enlaces