Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
Tuesday, 01 December 2015 17:48

A Marcha de Arbaeen, uma Manifestação do poder dos muçulmanos

A Marcha de Arbaeen, uma Manifestação do poder dos muçulmanos
Milhões de muçulmanos, jovens, idosos, homens e mulheres e mesmo as crianças, de varios lugares, alguns mesmo de longe, encaminham a pé em diração a cidade de Karbala no Iraque, no dia de Arbaeen (quarenta dias apos o martirio do Imam Hossein) com o intuito de beneficiar do ambiente espiritual e a grande recompensa da visitação do iluminado santuário e mausoléu de Hussein ibn Ali.

 

A primeira pessoa em que no dia de Arbaeen vistou o seu mausoléu, era o Jaber Ibn Abdullah Ansari, um dos ilustres companheiros do Profeta (P.E.C. E). Ao mesmo tempo, as famílias do Imam Hossein, apos a suportar dificuldades de cativeira, chegaram a Karbala em enlutamento. Eles, especialmente o Imam Sajjad (AS), filho doente do Imam Hossein e a Zainab (SA), a sua irmã, conseguiram durante os seus cativeiros divulgar a mensagem de Ashura, tendo retornado a Karbala para renovar o seu pacto com o Imam Hussein (AS). Na verdade, os grandes peregrinos em massa que caminham para Karbala estão renovando os seus compromissos com ele para defender os ideais transcendentais islâmicos como defesa a justiça, dos oprimidos e lutar contra a injustiça e ignorância. Nesta massiva marcha, todos vieram com o unico objetivo e propósito, ninguem se sente superior aos outros.

Imam Sadiq (as) sobre a recompensa da caminhada até o mausoléu de Imam Hussain (AS) diz: “Aqueles que vão de pé para a visitação do Imam Hossein, Deus os recompensa com o perdão dos seus pecados em cada passo que ele toma em direção do Imam, sendo abençoados”.

Ao longo da história, no dia Arbaeen, os muçulmanos, especialmente os xiitas no Iraque tentavam ecaminhar até o santuário de Imam Husseinin em Karbala.  Na sequência do golpe de Estado iraquiano por partido Baath em 1968, tinha sido estabelecidas restrições para a celebração da Marcha do Arbaeen. Quando Saddam Hussein, o ex-ditador tomou o poder em 1979, por temor de lvantes e revoltas populares, proibiu a realização desta emocional passeata. Em abril de 2003, os americanos viram a grande marcha de Arbaeen, sendo incapaz de impedi-la. No ano passado, as autoridades iraquianas relataram a presença de mais de 20 milhões de pessoas em procissão de Arbaeen. E este ano está previsto que este número aumente.

Uma das especificidades marcantes da marcha de Arbaeen de Imam Hussein (AS) é o seu apseto de internacionalização, ou seja, a participção de fieis em qualquer parte do mundo. Tendo a grande parte dos peregrinos oriundo do Iraque, mas os muçulmanos de todo o mundo, incluindo Irã, Paquistão, Índia, Afeganistão, Azerbaijão, Turquia e países árabes têm presença nesta comunhão espirtual. Também estão presentes muçulmanos de países europeus e dos EUA. Os muçulmanos oriundos da Síria, Iêmen, Bahrein e Arábia Saudita, relatam os crimes cometidos por governos ocidentais, os sauditas e por grupos terroristas, recebendo solidariedade e o apoio dos outros irmãos muçulmanos.

Outro ponto importante na cerimonia espiritual de Arbaeen é a presença de um grande número de sunitas e até mesmo os nãos muçulmanos, a qual evidencia a universalidade do levante e o movimento de Ashura.

Desde a invasão do Iraque por Estados Unidos, dezenas de milhares de civis iraquianos haviam sido massacradas por grupos e movimentos ligados de alguma forma aos EUA. Em tais circunstâncias, a realização passifica de cerimônia de Arbaeen com multidões enlutadas e com tanta amplitude, parece um milagre. Embora as forças de segurança farião grandes esforços para garantir a seguraça dos peregrinos, mas também os terroristas estão de olho para as suas tentativas de aterrorizar a cena e matar os inocentes.

No entanto, a presença de mais de vinte milhões de fieis e enlutados por martirio do Imam Hossein (AS) na Arbaeen indica a fé e a convicção desses peregrinos pelo caminho e os objetivos desta grande homem e a necessidade de manter viva as suas aspirações.
Quando se conversa com as pessoas sobre os provaveis perigos no meio da marcha, calmamente, sorrem e dizem: "O que é mais doce e melhor do que a morte no caminho para visitar o Principe dos Mártires".

Para chegar a Karbala e a visitação o “Principe os Mártires” (AS), existem várias chegadas e acessos.

Mas a maioria dos peregrinos, especialmente aqueles que vêm de fora do Iraque preferem encaminhar os 80 quilômetros de distancia entre a cidade Najaf a Karbala a pé. Primeiro vistam o santuário de Imam Ali (AS) em Najaf e em seguida, partem a pé para visitar o santuário sagrado seu filho martirizado em Karbala.

Entre um esta grande inundação de peregrinos, a presença dos iranianos é mais destacada em que se prepararam há muito tempo para esta viagem aparentemente difícil e perigosa, mas espiritual e com paixão. Ninguém aqui não se sente exausto, inseguro, estranho.

Agora, esta grande massa de apaixonados por Imam Hossein, encaminham para Karbala e novamente renovam seu pacto com ele, comprometendo defender o seu nobre ideais islâmicos, redobrando a sua animozidade.

Add comment


Enlaces