Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
Wednesday, 15 April 2015 18:48

Uma reflexão sobre a carta do Líder supremo aos juvens de Europa e América do Norte - 6ª parte

Uma reflexão sobre a carta do Líder supremo aos juvens de Europa e América do Norte - 6ª parte
      Este programa, o sexto episódio da série "uma reflexão sobre a carta do Líder” no qual comentamos vários tópicos da carta do aiatolá Khameni aos jovens europeus e americanos, incluindo o lugar da civilização islâmica no progresso da humanidade.

Em programas anteriores foram enfatizados em alguns tópicos tais como a compreensão do Islã, com base nas fontes genuínas, o crescimento do espírito da busca da verdade, o motivo de tanto intensidade na propagação de islamofobia e assim por diante. Também foram analisadas, as reflexões iniciais, entre os pensadores ocidentais , os políticos e a juventude americana. Hoje vamos falar de outros aspectos dessa carta.

 

Após os suspeitos acontecimentos terroristas na França, foi intensificada a onda de islamofobia no ocidente. E os que tinham planejado esses eventos, tirando proveito das emoções, despertaram a enxurrada revolta de insultos e profanação os santuários islâmicos. Em tais circunstâncias, a carta do aiatolá Khamenei abriu nova janela, chamando a juventude para não seguir os meios de comunicação ocidentais, mas sendo buscador da verdade, descobrindo os fatos e conhecer o Islã, sem intermediários, através dos ensinamentos do Profeta do Islã e do Alcorão.

 

Líder da revolução islâmica numa parte de sua carta sublinhou: “não deixem que esta realidade dinâmica e eficiente do mundo atual seja apresentada com objetivos tendenciosos para vocês. Não deixem que os hipócritas e mercenários terroristas sejam introduzidos como representantes do Islã. Conhecem o Islã através das fontes genuínas e recursos de primeira mão, sendo eles os ensinamentos do profeta do Islã ou Alcorão”. Algum de vocês já se perguntou como e com base de quais valores, o Islã criou a grande civilização cientifica e intelectual em nível mundial, e tendo educado os melhores cientistas e pensadores? De fato, o líder da revolução islâmica, notifica a juventude ocidental, se o Islã é realmente quilo que os políticos e meios de comunicação ocidentais descrevem; ou seja, um ritual violento, retrocesso, incompatível com a razão e com o conhecimento, sendo sem nobres valores humanos, como a Justiça e liberdade, como a comunidade islâmica, durante séculos, quando o Ocidente vivia na escuridão da Idade Média, era capaz de desenvolver a ciência, progresso e a cultura, implementando a grande civilização islâmica?

 

Podemos definir a civilização islâmica desta forma: “um conjunto organizado e coerente de opiniões, crenças, tradições, criatividades, invenções, técnicas e conhecimento que se englobam numa sociedade islâmica, engajados por pensamentos islâmicos”.

O mais importante papel do que o Islã desempenhou na formação da civilização islâmica, era a criação de áreas adequadas para o crescimento e o florescimento cientifica. Tendo em conta a ciência e o desenvolvimento científico um dos elementos da civilização, seria pertinente examinar os meio utilizados por muçulmanos no sentido de congregar a civilização islâmica.

 

Talvez o mais óbvio elemento que tivesse sido um crucial impacto na promoção da ciência da civilização islâmica, seria através de encorajadores versículos e capítulos do Alcorão, que incentivava os muçulmanos a adquirir a ciência e conhecimento. De fato, os ensinamentos islâmicos fizeram tornar possível o desenvolvimento cientifico dos muçulmanos, tendo insistindo na aprendizagem da ciência e na sua promoção. Por exemplo, enquanto a cultura dominante naquela época apenas permitia estudar uma classe específica, o Islã se tornou obrigatório à educação para todas as pessoas, independentemente de ser pobre e rico, tirando o monopólio de uma classe, tornando a ciência e conhecimento público para todos os muçulmanos.  A este respeito, o querido profeta do Islã (saws) disse: "a busca do conhecimento é obrigatória para qualquer ser humano. De fato, Deus ama os que procuram a ciência." Também disse: “quem abrir um caminho através da ciência, Deus abrirá um caminho para ele em direção ao paraíso”.

 

A Europa entre séculos V a XV vivia na escuridão da Idade Média. Esta altura que durou quase mil anos era considerado o tempo de barbaridade e retrocesso do Ocidente. Oposição à ciência, a promoção da superstição e o retrocesso cultural eram as relevantes características do Ocidente naquele período.  Na mesma época em outra parte do mundo, ou seja, em países onde o Islã tinha sido espalhado, uma grande civilização estava formando, cujas importantes características eram a racionalidade, equilíbrio e atenção especial às ciências intelectuais e experimentais. Esta altura era conhecida como a época dourada da história do Islã, em que coincidia com os séculos VIII a XIII. Nessa época, os muçulmanos com o apoio de ensinamentos do Islã e o ambiente propicia, criado culturalmente, devido ao surgimento do Islã, se desenvolveram diversas áreas da ciência. Os muçulmanos, não somente tinham traduzido e mesmo aprendidos as ciências que vinham da Grécia e Roma, mas também tinham inovadores e criativos, bem como descobriram novas áreas da ciência e novas práticas em descobertas científicas.

 

A civilização islâmica nessa época criou grandes cientistas muçulmanos, cujos relevantes trabalhos científicos salvaguardaram o mundo da ignorância e escuridão. Com exemplo, os primeiros livros sobre a técnica de matemática foram desenvolvidos por Mohammad ibn Musa al-Kharazmi, o matemático, astrônomo e geógrafo muçulmano no século IX. A expressão de Algoritmo que significa os passos necessários para realizar uma tarefa e uma sequencia finita de instruções bem definidas e não ambíguas, foi desenvolvido por Kharazmi na matemática e a expressão para resolução de uma questão se deriva a nome dele. Abu Rayhan al-Biruni, considerado o pai de antropologia, é um cientista muçulmano no século X.  Ele tem obras em física, geografia, matemática, astronomia e métodos de pesquisa nas minas. Ele foi um historiador e pesquisador e seis séculos antes do Francisco Beiken tinha praticado o “método cientifico”. Poucas são as obras dele traduzidas em Latino, sendo assim pouco conhecido até os últimos dias no Ocidente.

 

O mais famoso ensaio cientifico, médico e filosófico do mundo foi escrito durante o mesmo período por Avecina.  Ele é um dos mais famoso e influente filósofo e cientista muçulmano, principalmente devido as suas obras no campo da filosofia de Aristóteles e da medicina. Os seus dois livros da “a Cura” e “a Lei” , conhecidos como os mais famosos na história da medicina , foram ensinados e estuados nas universidades ocidentais até recentemente .

 

Chama-se "Alhazen" cientista muçulmano que é conhecido nas escritas latinas da Idade Média como "avntan" e "alhazan" (Alhazen). Ele é o primeiro físico que estudo a física da luz. Ele desempenhou um papel importante na compreensão de leis da refração e reflexão. Os seus métodos de pesquisa e praticas para resolução de questões foi motivo para muitos historiadores, chamando ele um verdadeiro cientista em nível mundial.  Chamando também o Alhazen como o pai da óptica moderna, física experimental e metodologia científica.

 

A Dra. Sigrid Hunke, cientistas alemã, escreveu sobre o impacto da civilização islâmica na maioria das ciências de hoje:

"A civilização islâmica foi iniciada por muçulmanos. Eles não somente salvaram o legado da Grécia, da destruição e esquecimento, dando-lhe ordem e articulação, devolvendo-o de novo à Europa, como eles foram pioneiros na química experimental, física, álgebra, matemática, aritmética espacial, geologia e sociologia. Civilização islâmica ofereceu ao Ocidente preciosas descobertas e invenções, em todos os campos de ciência experimental, sendo que as maiorias deles posteriormente foram ditos como invenções europeus. A mais preciosa invenção muçulmana, provavelmente é modas de pesquisa nas ciências naturais, as quais abriu caminho aos europeus no sentido de conhecer e compreender as leis da natureza e controlá-las."

 

Gustave Le Bon, o filosofo, médico, historiador e o sociólogo francês diz: “as descobertas dos muçulmanos em ciências naturais, não foram menor do que a matemática e a ciência aritmética e sendo os muçulmanos excelentes nas bases da física e em particular assuntos visuais. Foram os muçulmanos que inventaram instrumentos precisos da mecânica. Eles descobriram as mais importantes composições químicas tais como álcool, acido azídico e sulfúrico, praticando valiosos trabalhos nessas áreas como destilação, etc. Eles utilizaram a química na indústria farmacêutica, especialmente, na mineração, siderurgia, tratamento de coro etc. e foram eles que supostamente inventaram a bússola nas navegações marítimas, trazendo esta importante invenção para a Europa”.

 

Um dos pontos na carta dirigida ao líder da revolução islâmica, aos jovens da Europa e América do Norte tem sido referido à atenção dos jovens nestes países para relembrar a história dourada do Islã e a influencia da civilização islâmica em atuais inegáveis realizações humanas.

Parece que agora, a civilização islâmica depois de um período de declínio é novamente se floresce e cientistas muçulmanos de hoje ocuparam uma parte significativa nos avanços científicos do mundo. A carta do aiatolá Khamenei aos jovens europeus, de fato, expressa isso que a civilização islâmica, tendo um passado glorioso, repleto de moralidade, ciência e a arte não serão vencidas por atos de denegrir dos expansionistas e a verdade prevalecerá e vencerá a ignorância.

 

 

 

 

Add comment


Security code
Refresh

Enlaces