Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
Thursday, 07 January 2016 13:28

O discurso proferido por Líder supremo no encontro com participantes na 29ª Conferencia de Unidade Islâmica

O discurso proferido por Líder supremo no encontro com participantes na 29ª Conferencia de Unidade Islâmica
A vigésima nona Conferência da Unidade Islâmica, com a pauta "As crises do mundo islâmico e as soluções » foi realizado em Teerã entre 27 a 29 dezembros.

Na conferência, estavam presentes mais de 600 estudiosos, pensadores e personalidades de 70 países islâmicos ao redor do mundo, com o intuito de trocar de opiniões.

Os participantes descrevendo as consequências e perigos de divergência e discrepâncias no mundo islâmico enfatizaram na necessidade de lidar com as mais importantes crises do mundo islâmico. Foi mencionado o “estabelecimento da paz e da segurança, a cooperação entre países islâmicos, no âmbito de um mercado comum e trilhando na direção da formação de uma civilização moderna islâmica” como os melhores mecanismos e estratégias para os países islâmicos. No ultimo dia, os participantes na conferência tiveram um encontro com líder da revolução islâmica Aiatolá Khamenei.

Aiatolá Khamenei nesta reunião e diante de mais de 450 convidados ao felicitar os dois nascimentos do Profeta do Islã, o Mohammad e o seu neto Imam As-Sadiq (que a paz e a benção divina estejam sobre eles) à nação islâmica, descreveu o nascimento do profeta do Islã como soprar alma no cadáver morto do mundo naquela época em que eram os períodos de decadência da humanidade e das virtudes. Deus no Alcorão considera o convite do profeta com uma verdadeira vida para o povo quando disse: “Ó fiéis, atendei a Deus e ao Mensageiro, quando ele vos convocar à salvação”. E sabei que Deus intercede entre o homem e o seu coração, e que sereis congregados ante Ele (Anfal- 24)

Ele considerou a comemoração do nascimento do profeta um ato auspicioso, mas não suficiente. O Líder supremo se referiu à opressão, discriminação e a ignorância do mundo de hoje, afirmou que o grande luto da humanidade é pela morte das virtudes. “Hoje o mundo do Islã, deve dinamizar e animar o Islã com tem feito o profeta, criando uma nova atmosfera, abrindo um novo caminho”. Chamamo-nos isto “a moderna civilização islâmica”, acrescentou o líder.

O Líder de revolução islâmica afirmou que a formação desta moderna civilização não significa ocupação de territórios, a violação dos direitos das nações e a imposição da cultura e ética, mas significa apresentar ao mundo um dadivo divino para que possam escolher o caminho certo, segundo os seus critérios e vontades.

Ele se referiu ao processo da formação da civilização materialista do Ocidente e disse que nos séculos XVI e XVII os europeus usando o conhecimento e a filosofia dos muçulmanos, fundaram uma civilização, mas como o seu fundamento era materialista, foi utilizado como um fermento para colonizar e saquear outras nações, com uso de sabedoria, ciência e experiência e impuseram esta civilização à humanidade. Aiatolá Khamenei continuou: “a civilização materialista ocidental, apesar dos bons efeitos tecnológicos e bem estar social, não conseguiu fornecer justiça e prosperidade ao homem, ela sofrendo interiormente, de contradições, como resultado podemos mencionar o declínio da moralidade e um vácuo espiritual.

O Líder da revolução salientou: "Hoje os muçulmanos por seu esforço podem formar uma civilização moderna islâmica. Como naquela época que os europeus utilizaram da ciência e conhecimento dos muçulmanos, nos também podemos usar os atuais instrumentos globais e com base no conhecimento definir esta civilização, mas com uma essência da espiritualidade islâmica”, e acrescentou: “Hoje não há esperança nos políticos (...) mas as nossas esperanças são estudiosos da religião em todo o mundo do Islã e os verdadeiros intelectuais, que não se declinam por atrações ocidentais”.

O líder supremo refere-se à potencialidade do mundo islâmico, incluindo a sua população, território, recursos naturais e mão de obra preparada, e afirmou que com está força o estabelecimento da civilização islâmica, seria possível e factível.

Ele considerou a dissidência como o instrumento do inimigo contra o Islã. Salientou: “quando os termos de sunita e xiita entraram na literatura americana, os sábios muçulmanos ficaram preocupados, percebendo da nova conspiração”. Ele afirmou que os britânicos têm muito experiência em criar divergência entra os xiitas e sunitas, mas o plano dos EUA é ainda mais perigoso. Aiatolá Khamenei perguntou: "será que ficamos felizes, do apoio do inimigo ao um grupo contra outro dentro do mundo islâmico? Se nós fizemos apoio, nós devemos estar satisfeitos por isso? Não, nós devemos estar com tristezas, devemos pensar em onde foi o nosso ponto de fraco que eles o usaram como desvantagem contra nos.”.

Hazrate Ali (S.A) disse, “você não será imune do inimigo, mesmo quando está te agradecendo”. “E o Imam As-Sadeq (a.s.) também diz:” Às vezes o seu inimigo te aproxima, para te surpreender; então tenha cuidado e fique prudente e cauteloso e nunca otimista!»

Aiatolá Khamenei, com ênfase no papel dos governos ocidentais em estabelecer sectarismo entre os muçulmanos diz "um dia se surge esta disputa como “pan-arabismo” e “pan-turquismo” e mesmo “pan-arabismo” que na pratica não funcionam e hoje apareceu em nome da religião; querem dividir e criar atrito e conflito entre jovens. Então, o resultado seria terrorista como Daesh em que com dinheiro dos aliados dos EUA e com ajuda politica deste país tinham sido criado e crescido, causaram esta atrocidade e flagelos dentro do mundo do Islã.”.

Líder da revolução islâmica salientou que o objetivo do inimigo era criar uma guerra sectária entre os muçulmanos, e precisou: "eles vão arruinar os países islâmico, um por um, mas por que está devastada a Síria, Iêmen e destruindo a Líbia, deteriorando a suas infraestruturas? Por que temos que se render a esta conspiração? Porque ainda permanece desconhecido para-nos, os objetivos do inimigo? Se queremos vencer, temos que ter a percepção e uma visão. A percepção é raciocinar no sentido de orientar a humanidade. O Alcorão Sagrado recomenda ao homem iluminar o seu coração com a luz da razão, os verdadeiros cegos são aqueles que não conseguem de utilizar bem o seu raciocínio. O Imam Ali (S.A) disse: « Com a visão, o homem ouve , contempla e aprende lições e a seguir trilha no caminho da luz e se afastando do abismo.».

Aiatolá Khamenei criticou o silencio do mundial para com os crimes que cometem contra os muçulmanos, e disse: “como os muçulmanos no Bahrein estão sob a pressão? Como na Nigéria, causam um desastre contra o xeque Zakzaki e assassinam milhares de pessoas, incluindo os seus seis filhos? Por que o mundo do Islã está quieto perante estas tragédias? Como os muçulmanos suportam os bombardeios do Iêmen?.... a Síria e o Iraque também são alvos do inimigo, objetivos muito perigosos do inimigo. Precisamos acordar.”.

Deus, glorioso no capítulo de Al-Anfal do Alcorão afirmou: “Se um grupo (de crentes imigrantes) por preservação da sua religião e fé pediu o vosso socorro, devem apressar para ajuda-los”. Este versículo com muita clareza obriga os muçulmanos a ajudar os seus irmãos da fé que estão sob opressão e injustiça como sua tarefa religiosa. Em outro versículo, o Alcorão Sagrado disse: “E o que vos impede de combater pela causa de Deus e dos indefesos, homens, mulheres e crianças”? que dizem: Ó Senhor nosso, tira-nos desta cidade (Makka), cujos habitantes são opressores. o Islã, não aceita a justiça mesmo que sendo cometido contra os não-muçulmanos.

O Alcorão diz: “E apegai-vos, todos, ao vínculo com Deus e noa vos dividais; recorda-vos das mercês de Deus para convosco, porquanto éreis adversários mútuos e Ele conciliou os vossos corações e, mercê de Sua graça, vos convertestes em verdadeiros irmãos; e quando estivestes à beira do abismo infernal, (Deus) dele vos salvou. Assim, Deus vos elucida os Seus versículos, para que vos ilumineis”.

Imam Ali (S.A) que è a personificação do Alcorão Sagrado também diz: “Deus é único, o profeta é um e o livro é um. Será que lhe ordenou a dispersar e se dividir, ou recomendou pela evitar a discrepância e eles obedecem à ordem divina?” O antidoto para estes amargos sofrimentos do mundo do Islã, é o Alcorão e as recomendações dos líderes e guias religiosos e as revelações eternas para orientação daqueles que buscam a verdade.

 

Add comment


Enlaces