Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
Tuesday, 23 February 2016 13:50

Os pontos de vista do Líder da Revolução (o pronunciamento proferido no encontro com alguns grupos de pessoas da província do Azerbaijão)

Os pontos de vista do Líder da Revolução (o pronunciamento proferido no encontro com alguns grupos de pessoas da província do Azerbaijão)
Neste programa apresentamos a transcrição dos pontos importantes do pronunciamento da liderança da Revolução ao receber visita de um grupo de pessoas da Província de Azerbaijão.

A revolução islâmica, que se triunfou em fevereiro do ano 1979, é uma revolução popular e religiosa que impressionou muitos analistas políticos do mundo. Este movimento, passo a passo avançou com a liderança do Imam Khomeini (que Deus o abençoe) e o povo iraniano nesta batalha difícil apenas tinha contado com a Unidade e a Sua força da fé em Deus Todo-poderoso. O movimento islâmico do povo iraniano tem sido iniciado em 1964, com a forte contestação de Imam Khomeini contra o regime de Pahlavi, em uma impressionante aceleração em 1978. Nesta data, o povo de Qom, ao protestar contra a publicação de um artigo difamatório num jornal contra Imam Khomeini, realizou uma grande manifestação pacifica. O regime monárquico abriu fogo contra protestantes e matou um grande numero de pessoas. Quarenta dias depois, num outro lugar a centenas de quilômetros a Qom na cidade de Tabriz, a população saiu à rua marchando em protesto contra a brutalidade do regime de martirizar do povo revolucionário de Qom. Revolta do povo em Tabriz, também foi sacudida com força, bala e o desfile de tanques. O levante do povo de Tabriz, em comemoração a mártires da revolta popular em Qum, incitou uma serie de protestos populares em outras cidades no Irã, em cada ato foi comemorado a matança e martírio da população da outra cidade e virou-se uma revolta geral do país contra o regime. Esta série de revoltas, finalmente como resultado tem despertado o povo e o publico em geral e acelerou o movimento triunfal da revolução.

O povo revolucionário de Tabriz, sempre animado e honestamente, defendeu o sistema islâmico, e em cada ano por ocasião da vitória da revolução, num encontro com o líder supremo reitera e renova a sua lealdade para como ideais da revolução.

Este ano também, compareceram pessoas, famílias dos mártires, teólogos, clérigo e autoridade desta província na reunião com líder.

O líder da revolução islâmica ao recordar a memorial data de 11 de fevereiro, acrescentou que a consciência, percepção, estabilidade, iniciativa e coragem, são virtudes do povo e um sinal da ajuda divina a favor do movimento do povo do Azerbaijão.

Ele se referiu ao papel excepcional da revolta de Tabriz no despertar da nação iraniana em que durante os anos após a revolução, estas pessoas têm continuado permanecer nas primeiras fileiras da batalha e resistência e tiveram uma presença importante na cena do país.

O Líder do Irã apontando para a necessidade de comemoração de tais dias, agradeceu pelo apoio e uma presença incomparável da nação iraniana na marcha de 11 de fevereiro deste ano e acrescentou: “esta presença, indica a intata determinação do povo, exatamente neste momento que as potencias dominantes, arrogantes e opressores mundiais estão de olho no Irã islâmico, fazendo todos os esforços para que o povo se abandone ou esqueça e bem como enfraqueça a revolução. Em tal situação, a nação iraniana, tem feito o contrario e em cada ano com mais vigor e entusiasmo participa na marcha a defesa da revolução”.

Líder da revolução islâmica considerou a eleição como um evento festival e importante, para o povo do Irã e afirmou que a nação islâmica já tem ultrapassado a era da sua humilhação. Ressaltando que no passado o povo era humilhado nos campos da política, ciência e social por estrangeiros e precisou: “nos últimos anos do regime anterior, os americano ditavam todo o que queriam e o regime seguia exatamente e eram antes dos EUA, os britânicos que desempenhavam este papel; a revolução islâmica superou esta humilhação insuportável, renovou a dignidade do povo e enfatizou na independência e humanismo. Quando o povo sentiu o senso de identidade, floresceu os talentos!... Hoje, o país está glorificado e a nação iraniana muita honrada no mundo. O inimigo não suporta isso. Estes acontecimentos são insuportáveis para os EUA que se considerava um dia o nosso país com o seu quintal ou para o regime sionista de Israel que consideravam o Irã como um aliado; os inimigos não podem ver a nossa nação resistindo explicitamente e substancialmente, expressando suas opiniões soberanas contra a arrogância e até encorajando outras nações, então, não hesitaram do seu esforço para desinteressar e desmotivar o povo iraniano.

Aiatolá Khamenei salientando a importância das eleições e os esforços do inimigo para o desvio da opinião pública, afirmou que o inimigo despontado de não conseguir fechar as eleições, pretende manipulá-las, corromper custa que custar às eleições. Ele dirigiu-se ao povo iraniano e disse, “as pessoas devem estar cientes e formam contra peso contra ações dos inimigos”.

Vale mencionar que o Irã revolucionário durante estes 37 anos, em média em cada ano realizou uma eleição e mesmo nas condições mais difíceis da guerra e os bombardeios das cidades, tinham sido realizados as eleições em devido tempo e com a total de segurança.

O povo do Irã nos próximos dias vai participar em duas principais eleições legislativas (Assembleia Consultiva Islâmica e a Assembleia dos Peritos). A responsabilidade de Assembleia dos Peritos é supervisionar o líder supremo em termos de atributos e é responsável por selecionar o próximo líder.

No Irã, não há restrição para cadastramento de candidatos para a eleição, mas a Constituição iraniana indicou componentes para a qualificação dos candidatos. Segundo a Constituição, o Conselho de Guardião, composta por juristas e jurisprudentes islâmicos, desempenha a função de qualificar os candidatos aptos em termo da Constituição. Este Conselho também supervisiona o processo eleitoral e a precisão dos resultados. Por causa da importância e sensibilidade das funções atribuídas ao Conselho de Guardião, os inimigos sempre tentaram miná-lo.

O Líder da revolução islâmica nesta reunião considerou que o enfraquecimento do Conselho de Guardião da Constituição é um dos objetivos dos inimigos da República Islâmica do Irã e afirmou que a tentativa de questionar as decisões do Conselho, na verdade, é questionar a eleição e o sistema legislativo e as suas decisões nos próximos quatro anos. Ele criticou alguns elementos internos que estão ecoando a voz dos inimigos para destruir a posição constitucional do Conselho de Guardião e comentou: “aquele que falam contra do Conselho de Guardião, não estão cientes do que os inimigos estão concentrados em privar o povo iraniano da “Democracia religiosa”, um fenômeno único e atraente para as nações islâmicas”.

Líder da revolução islâmica enfatizou na relevante posição do legislativo e a sua cooperação com o executivo e comentou: "se o parlamento procura o bem-estar do povo, a justiça social, abertura econômica, e olhar para o avanço da ciência, o avanço da tecnologia, e a dignidade e honra nacional e a independência da nação, os seus investimentos devem ser nesta direção a alcançar estas metas, mais se sentir intimidado pelo ocidente e dos EUA, vai procurar a dominação de aristocracia, levando o país à miséria".

Aiatolá Khameni refere à importância das eleições da Assembleia dos Peritos, e afirmou: “a Assembleia dos Peritos em termo da importância, é mais importante que o Parlamento”. Por que é responsável pela escolha da liderança. Ele acrescentou: “se na Assembleia dos Peritos”, entrem os simpatizantes da revolução, que amem a nação, ciente da conspiração do inimigo e resistente e seguro na frente do inimigo, vão tomar decisões com empatia e consenso, mas se não forem assim, certamente a situação vai ser outra. Portanto, o inimigo agora está de olho na Assembleia dos Peritos.

O Líder também se referiu às propagandas dos meios de comunicações estrangeiras, em particular britânicos que tentam mudar o voto do povo iraniano a favor de seus objetivos, e disse: “a radio britânica está dando instruções à população de Teerã, no sentido de como e a quem votar”! O que significa isto? Os ingleses estão com saudades do tempo das suas intervenções no nosso país.

O líder da revolução islâmica recordando o envolvimento dos EUA, Grã-Bretanha e outras potências exortou que o povo iraniano participa na votação, com discernimento, conhecimento e sabedoria, contrariando as opiniões e propostas do inimigo.

Líder da revolução islâmica, numa parte do seu discurso com ênfase na necessidade de conhecer o inimigo e evitar da negligência, chamou a nação iraniana para se despertar contra o perigo das redes sionistas, em que por causa da sua riqueza dominam os governos ocidentais, incluindo os Estados Unidos. Ele se refere á desconfiança nos EUA e salientou ao descumprimento das obrigações dos norte-americanos durante as negociações nucleares. Ele considerou o grito da “Morte aos EUA” da nação iraniana, resultado das hostilidades deste país contra o povo do Irã, tanto no passado como nesta época e no presente. Aiatolá Khamenei acrescentou que os sorrisos dos diplomatas norte-americanos na reunião são disfarças e afirmou que estes sorrisos não vão encobrir a realidade do comportamento dos EUA.

Aiatolá Khamenei, recomendou o povo e a juventude para manter as suas motivações e fortalecer a fé e ser confiante nos seus esforços no campo científicos e económicos e anunciou à juventude: “graças a Deus, vocês vão ver um dia em que os Estados Unidos e todos os seus aliados não poderão fazer nada contra a República Islâmica do Irã”.

Add comment


Enlaces