Print this page
Saturday, 19 September 2015 16:01

Argentina endurece luta contra fundos abutre

Argentina endurece luta contra  fundos abutre
 O governo argentino enviou ao Congresso um projeto de lei as regras básicas sobre sua dívida soberana no âmbito da disputa com os fundos abutre.

 

Este é o nove princípios que dificultam as ações de fundos abutres que foram aprovados na semana passada pela Organização das Nações Unidas (ONU) para a reestruturação da dívida soberana.  Se nós caímos para trás em um processo de endividamento e  aderimos às exigências dos fundos abutre deixaremos vindo para baixo tudo que tenhamos feito durante esses 12 anos ", disse na sexta-feira a presidente da Argentina , a Cristina Fernandez ao anunciar a medida , conforme relatado pela mídia local.  Neste sentido, ela ressaltou que o projeto de lei, que irá endossar a iniciativa não vinculativa da ONU, é "uma regra de ordem pública" e agradeceu aos 136 países que acompanharam Argentina com o seu voto na organização internacional. "Nós vamos incorporar como uma regra de ordem pública que 136 países votaram para acompanhar Argentina, na medida em que é um legado para a humanidade", argumentou.  De acordo com o jornal argentino La Gaceta, esta resolução fala do direito dos Estados de reestruturar sua dívida, imunidade soberana que eles gostam e respeito que devem ser tomadas por maiorias qualificadas aos processos de reestruturação.  Ele propõe que se a maioria dos credores aceitarem o acordo proposto por um país devedor, o resto deve aceitar essa decisão. O objetivo da proposta é proteger os países dos ataques especulativos dos fundos de abrute.   A luta contra a fundos abutre tornou-se uma questão de interesse nacional na Argentina.    Mais cedo, a presidente da Argentina afirmou que a resolução da ONU sobre a reestruturação da dívida soberana vai impedir que outros países sofrem a mesma situação que tem sido através da nação austral.  Isto vem após uma decisão de um tribunal federal de Nova York que decidiu a favor de  fundos de urubus  em uma disputa com o Governo da Argentina, que exigem Estado-Membro a pagar 1,33 mil milhões de dólares aos detentores de obrigações dívida  adquirida desde 2001.  Vale ressaltar que, em agosto deste ano, o Tribunal de Apelações de Nova York decidiu a favor da Argentina em duas ocasiões (agosto 10  e  31 de Agosto) e decidiu contra a fundos abutre e do juiz americano Thomas Griesa , o magistrado encarregado do caso de frente para o país sul-americano.

Add comment


Security code
Refresh