Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
Friday, 15 January 2016 13:06

Uruguai tomará no CSNU a sua "posição nacional" sobre a situação no Médio Oriente

Uruguai tomará no CSNU a sua "posição nacional" sobre a situação no Médio Oriente
No Uruguai, o governo e as partes concordaram em levar ao Conselho de Segurança da ONU, uma posição nacional sobre a atual situação no Médio Oriente e proteção de civis em conflitos armados.

"Podemos ter algumas diferenças, mas basicamente o que Uruguai vai apresentar, estamos totalmente de acordo ", disse Gonzalo Perez del Castillo, do Partido Independente, depois de uma reunião na quinta-feira com o ministro das Relações Exteriores uruguaio, Rodolfo Nin Novoa, e outro partidos políticos no país.

Como afirmado por Del Castillo, o Ministério das Relações Exteriores do Uruguai, um país que em poucos dias vai sediar dois debates do Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU), está preparado "responsável e profissionalmente" na postura em duas questões que "não são novas ".

Em concreto, em 19 de Janeiro, o Conselho de Segurança da ONU vai sediar no país sul-americano um debate sobre proteção de civis em conflitos armados. Além disso, no dia 26 haverá o debate trimestral sobre o Médio Oriente, que abordará a situação na região de uma perspectiva ampla, será o orador principal com o Secretário-Geral Ban Ki-moon, e será presidido pelo Nin Novoa.

Por sua parte e em referência à recente onda de violência nos territórios palestinos ocupados, Presidente da Comissão de assuntos e relações internacionais da Coalizão de esquerda Uruguaia Frente Amplio (FA), José Bayardi, opinou que "através do diálogo procurará chegar a uma solução final ".

No que se refere à crise síria, Bayardi explicou que em esta reunião foi colocar sobre a mesa que tem que identificar que as ações cometidas pelo grupo terrorista Daesh, transformaram em um problema de segurança global que deve ser abordada através de uma coordenação mundial na ONU.

O Médio Oriente está atualmente atravessando uma situação tensa; por um lado, devido à presença de grupos terroristas que operam com maior frequência em países como o Iraque e a Síria, embora estejam sofrendo baixas significativas, como resultado de operações de contra-terrorismo lançadas por ambos os estados árabes e outros países, em particular a Rússia. Além disso, a escalada da violência israelense contra os palestinos, que desde o seu início em 1 de outubro, já matou pelo menos 159 palestinos por forças do regime israelense.

Uruguai, como membro não permanente, assumiu, desde um de janeiro de 2016 a presidência rotativa do Conselho de Segurança das Nações Unidas, em um cenário global marcado por conflitos como os da Síria, Iêmen e Burundi.

A agenda incluirá também a análise de forças de paz da ONU, entre elas as estabelecidas na República Democrática do Congo, Mali, Somália e Darfur (Sudão).

Sob a presidência uruguaia, o Conselho realizará um debate aberto sobre a proteção de civis.

O vice-chanceler de Uruguai, José Luis Cancela assegurou que Montevidéu defenderá no Conselho de Segurança a busca da paz e o respeito ao Direito Internacional.

Faremos um grande esforço para, sob o estrito respeito ao Direito Internacional, avançar na solução pacífica dos conflitos, afirmou.

Add comment


Security code
Refresh

Enlaces