Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
sexta, 15 janeiro 2016 11:57

'Arábia Saudita equipou os terroristas na Síria e no Iêmen com armas compradas na Europa

'Arábia Saudita equipou os terroristas na Síria e no Iêmen com armas compradas na Europa
Armas compradas pela Arábia Saudita e alguns de seus aliados árabes dos países do leste da Europa foram apreendidos dos terroristas e mercenários na Síria e Iémen.

De acordo com um relatório nesta quinta-feira no Líbano do diário Al-Mayadeen, parte das armas compradas pela Arábia Saudita, Qatar e os Emirados Árabes Unidos (EAU) em 2013, sem que o vendedor soubesse o seu uso, e que foram transferidos às oposições da Síria e Iêmen em voos privados, têm sido confiscados nos últimos meses nestes países.

Conforme explicado no relatório, desde o início de 2015, foram confiscados grandes quantidades de armas e espingardas de RPG-6 Avtomat Kalashnikova, metralhadoras, lançadores de foguetes PK RPG antitanque armas, granadas e minas na fabricação em Bielorrússia, em províncias sírias de Aleppo (norte), Hama (noroeste) e Homs (centro).

A este respeito, o relatório recorda os voos cargueiros entre a Bielorrússia, a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos, sem precedentes desde 1991, bem como a venda de dezenas de milhões de euros de armas da Bielorrússia para a Arábia Saudita. Além disso, lembre-se que o valor das exportações de armas da Bielorrússia para os Emirados Árabes Unidos ascenderam a mais de € 403 milhões, de modo que a venda de armas do Governo de Minsk, em comparação com o valor de 2006, quadruplicou.

Por outro lado, explica o jornal, desde 2013, os observadores do conflito na Síria insistem na obtenção de documentos que comprovem a utilização de armas fabricadas na Ucrânia, Croácia, Sérvia, República Checa e Polónia (todos comprados pela Arábia Saudita e Qatar, entre outros países), por terroristas na Síria.

O relatório também cita documentos divulgados em 2015 por Cyber Berkut e incluem a venda de armas ucranianas e equipamento militar para Catar e Arábia Saudita, a fim de enviá-los para grupos terroristas na Síria.

Até à data, haviam publicado uma série de relatórios sobre os apoios financeiros, armamentistas e logísticos de certos países ocidentais e regionais aos terroristas e grupos armados no Oriente Médio.

No ano passado, Maki al-Eizawi, um membro do Conselho para a Salvação da cidade iraquiana de Fallujah, disse que o Qatar e a Arábia Saudita pagaram pelo menos, US $ 700 menais a cada membros do grupo terrorista Daesh para gerar instabilidade na província de Al-Anbar, no oeste do Iraque.

O vinculo de Jimy Catar com terroristas foi confirmado por várias fontes. O ex-oficial da Marinha dos Estados Unidos Kenneth O'Keefe disse que Washington financiou, "há muitos anos", os elementos de Daesh através de seus aliados regionais, particularmente Qatar, Emirados Árabes Unidos e Arábia Saudita.

Também em 2013, um editorial do The New York Times revelou que "pelo menos dezenas (e provavelmente mais) dos sistemas de defesa aérea portáteis de ter chegado às mãos dos rebeldes ... Isso inclui partes [de armas] são provenientes da rede sombria de trafico de armas do Qatar".

Add comment


Security code
Refresh

Enlaces