Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
sexta, 11 março 2016 17:38

Forças israelense atacaram a sede do canal Palestina de Hoje

Forças israelense atacaram a sede do canal Palestina de Hoje
Forças israelenses invadiram os escritórios do canal televisivo de Palestina de Hoje na Cisjordânia e prenderam o seu diretor, sob o pretexto de que o canal promove a "violência".

O serviço de segurança interna israelita Shin Bet informou que o ataque, realizado na noite de quinta-feira e na sexta-feira, foi uma operação conjunta das forças militares e de inteligência israelense.

Através de um comunicado, o Shin Bet acusa o canal de "transmissões em nome da Jihad Islâmica", um movimento de resistência na Faixa de Gaza, e criar tensão nos territórios palestinos ocupados.

“O canal serviu a Jihad Islâmico como meio fundamental para instigar a população da Cisjordânia a cometer ataques terroristas contra Israel e seus cidadãos”.

“Incitamentos foram transmitidos pela estação de TV e Internet”, afirma a nota. O Shin Bet confirmou a detenção de um indivíduo, o diretor da estação, Faruq Aliat, mas a União de Jornalistas palestinos diz que no ataque também foram presos o cinegrafista, Mohamad Amr e o técnico, Shabib Shabib.

Em resposta ao ataque, à ordem do fechamento do canal e confiscar as equipes técnicas desta estação, a Jihad Islâmica condenou a "agressão israelense contra os meios de comunicação nacionalistas e resistência", e apontou para que a Palestina de Hoje não seja a primeira vítima a "opressão da ocupação".

Forças militares israelenses atacaram no final de 2015 a sede em Al-Khalil (Hebron), da Rádio de Sonho palestino, a fecharam e confiscaram os seus equipamentos de radiodifusão sob o pretexto que emitia programas contra colonos e forças de segurança de Israel.

Também foi fechada a Radio Al-Hurriya, e parou de emitir a Rádio Al Khalil.

Esses ataques se intensificaram após a eclosão de tensões em outubro do ano passado, depois de o regime israelense impôs restrições à entrada de fiéis palestinos na Mesquita Al-Aqsa em Al-Quds (Jerusalém).

Desde o início da terceira intifada (levante palestino) nos territórios ocupados, soldados israelenses mataram 200 palestinos na ocupada cidade de Cisjordânia “Al-Quds” e da Faixa de Gaza.

Add comment


Security code
Refresh

Enlaces