Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
Tuesday, 01 December 2015 09:43

Carta do líder iraniano, uma análise correta do surgimento de Daesh

Carta do líder iraniano, uma análise correta do surgimento de Daesh
O analista internacional norte-americano , Stephen Lendman destacou a recente carta do líder da juventude ocidental, em que ele culpou os EUA e seus aliados para a criação de grupos terroristas.

 

Entrevistado segunda-feira pela agência de notícias iraniana Fars, pesquisador associado do Centro de Pesquisa sobre Globalização coincidiu com o Líder da Revolução Islâmica, o aiatolá Seyed Ali Khamenei, dizendo que grupos terroristas como "Taliban, Al- Qaeda e seus afiliados "são  resultados do apoio direto de Washington ao terrorismo, e sua política de dois pesos e duas medidas contra este flagelo.  Os EUA levam os agressores (...) no mundo, e Israel é um aliado importante de Washington. Estes dois trabalham juntos em grandes crimes. Eles realmente são a maior ameaça à paz e à segurança mundial ", disse o analista internacional, Stephen Lendman

Coincidiu com o líder iraniano na luta contra o terrorismo chamado a presença dos EUA, França e outros aliados no Iraque e na Síria, é um mero show, como se mostrou ineficaz no Iraque, onde nenhum progresso foi alcançado sobre as posições de terroristas.  

Por sua vez, Rodney Shakespeare, economista e professor da Universidade da Grã-Bretanha de Cambridge, disse que era importante a segunda carta de Khamenei jovens ocidentais "na  criação de uma análise adequada do grupo terrorista Daesh.  O analista britânico que falou na segunda-feira com a agência de notícias oficial IRNA, relatou o apoio contínuo de os EUA, Reino Unido, Israel e outros seus aliados ao terrorismo, e disse que o Ocidente a única coisa que não esta fazendo em Iraque e Síria, é  lutar contra o terrorismo.  Ele chamou uma "grande mentira" recentes declarações de primeiro-ministro britânico David Cameron, sobre a necessidade de reforçar ataques contra Daesh na Síria. 

"A extensão dos ataques aéreos britânicos na Síria não será frutífera, assim como a Rússia, o Irã, o Hezbollah (o Movimento de Resistência Islâmica no Líbano), e o governo de Bashar al-Assad (o presidente sírio) que lá estão enfrentando o terrorismo firmemente e estão mostrando ao mundo que o Ocidente criou Daesh não intencionalmente supera, e o mesmo funciona para ajudar a atingir seus objetivos ", acrescentou.  Em sua segunda carta (o primeiro foi publicado em janeiro), divulgado no domingo, o líder iraniano chamou os ataques terroristas na capital francesa, Paris, de "terrorismo cego".  O Líder iraniano escreveu esta mensagem, traduzido em várias línguas e publicada em muitos outros meios de comunicação internacionais após os atentados em Paris em 13 de novembro, que deixou pelo menos 130 mortos e cuja autoria admitiu o grupo terrorista de Daesh.

Add comment


Security code
Refresh

Enlaces