Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
Sunday, 17 January 2016 17:48

Rouhani: o Irã dará uma resposta forte à Arábia Saudita, se for necessário

Rouhani: o Irã dará uma resposta forte à  Arábia Saudita, se for necessário
O presidente iraniano, Hassan Rouhani, ofereceu uma conferência de imprensa com a participação do meio de comunicações nacional e internacional sobre a implementação do acordo nuclear entre Irã e G5 + 1, 17 Janeiro de 2016.

Rouhani sublinhou que a implementação do acordo nuclear entre o Irã e o G5 + 1 mostrou ao mundo o poder da diplomacia iraniana. "Hoje foi mostrado que o nosso país tem um grande poder de diplomacia. Muitos não acreditam nesse poder”, acrescentou o Presidente.

Ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano Mohammad Javad Zarif, e o chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, em um comunicado de imprensa conjunta em Viena, capital da Áustria, no sábado anunciaram a implementação do Plano Integrado de Ação Conjunta (JCPOA), alcançado em julho passado entre Teerã e o sexteto (EUA, Grã-Bretanha, França, Rússia, China e Alemanha).

Rouhani salientou que, após a aplicação do acordo entre Irã e o G5 + 1, não se pode apresentar o programa nuclear iraniano como uma ameaça à paz mundial.

Neste sentido, ele enfatizou que o mundo reconhece que o Irã utiliza a energia nuclear como um instrumento para promover o desenvolvimento do país e a estabilidade da região.

O executivo-chefe do Irã insistiu que o pacto nuclear foi alcançado graças à força e unidade do povo iraniano, o apoio de todos os órgãos do país e especialmente a direção do líder da Revolução Islâmica, Aiatolá Seyed Ali Khamenei.

"A partir de hoje os empresários iranianos são capazes de conduzir seus negócios sem limitações e restrições", sublinhou. Ele ressaltou que os representantes das 150 empresas estrangeiras tenham viajado para o Irã nos últimos meses para investir no país.

Tem chamado também a incrementar os ingressos de capitais relacionados ao petróleo.

Além disso, ele garantiu que, apesar dos esforços do regime israelense e ultraconservadores nos EUA contra o Irã e o acordo nuclear, todo o mundo chegou a esta conclusão que a política de sanções é contrária aos interesses de todas as partes. Com o encerramento do caso de chamado Possíveis Dimensões Militares (PMD) do programa de energia nuclear do Irã "foi aprovado que o governo do Irã é sincera e comprometido com a ética", disse Rouhani, salientando que tudo isso tem aumento a confiança no mundo em Teerã.

O acordo nuclear foi implementado depois que o diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Yukiya Amano, no sábado publicou um relatório, que confirma que o Irã cumpriu todas as suas obrigações definidas no JCPOA.

Tendo recebido o relatório da AIEA, a União Europeia (UE), a ONU e os Estados Unidos levantaram as sanções contra o Irã por seu programa de energia nuclear.

Sobre o comportamento hostil da Arábia Saudita em relação ao Irã, o Presidente iraniano, enfatizou que o Irã se reserva o direito de dar uma resposta "forte" a algumas medidas “nada diplomáticas” da Arábia Saudita. "O que queremos é resolver os problemas regionais por meio da lógica, mas também o nosso povo e governo não vai aceitar o comportamento diplomático errado (da Arábia Saudita) e, se for necessário, daremos uma resposta forte a certas ações" disse Rouhani no domingo.

Ele expressou a esperança que as autoridades sauditas a reconsiderar suas políticas para com a Teerã. "Espero que os novos governantes da Arábia Saudita tenham aprendido a lição e escolher um caminho que favorece os interesses da região e seu povo", disse ele, insistindo que o mesmo reino árabe é a fonte de tensão com o Irã.

O presidente iraniano também informou que uma das autoridades sauditas lamentou a solução dos problemas econômicos no Irã após a implementação do acordo nuclear.

No início deste mês, o regime saudita anunciou o rompimento das relações com o Irã alegando a forte crítica de Teerã à execução do proeminente clérigo xiita, o xeque Nimr Baqer al-Nimr.

"A execução de um clérigo religioso respeitado não é aceitável por grande parte da sociedade saudita, por isso, a Arábia Saudita foi o que começou de forma errada", acrescentou Rouhani. O líder iraniano criticou o regime em Riad pela sua agressão militar "injustificada" a ser realizado por vários meses contra o Iêmen.

 

Add comment


Security code
Refresh

Enlaces