Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
Friday, 11 March 2016 08:58

Uma brincadeira ? Um tribunal dos EUA condena o Irã a indenizar $10.500 milhões às vítimas do 11S

Uma brincadeira ? Um tribunal dos EUA condena o Irã a indenizar  $10.500 milhões às vítimas do 11S
Um juiz estadounidense condenou o Irã a pagar 10.500 milhões de dólares pelos ataques às Torres Gêmeas de Nova York em 2001, sem que tenham provas de envolvimento do país persa a respeito.

George Daniels, magistrado do distrito de Nova York (EUA) ordenou na quarta-feira o Irã a pagar esta quantia às famílias das pessoas que morreram nas Torres Gêmeas e no Pentágono, em Washington (capital), bem como a um grupo de seguros.

Esta rara decisão do juiz produz-se sem menção às nacionalidades dos terroristas que sequestraram os aviões com os que se perpetraram os atentados do dia 11 de setembro de 2001.

Para o juiz estadounidense, o Irã é culpado de não cumprir com as exigências que mandaram os sequestradores daqueles aviões, pelo que a seu julgamento Teerã é responsável pelos danos vinculados aos ataques.

A investigação sobre os atentados terroristas do 11S, dirigida pela Agência Central de Inteligência (CIA, em inglês)junto com outros corpos policiais estadounidenses, identificou os 19 sequestradores que subiram a bordo de quatro aviões com os que perpetraram os atentados. 15 deles eram cidadões da Arábia Saudita, dois Emirados Árabes Unidos (EAU), um do Egito e outro do Líbano.

Cinco dos terroristas suicidas —quatro sauditas e um egípcio— sequestraram o vôo 11 de American Airlines que ia de Boston a Los Angeles e utilizaram para atacar a torre ao norte do World Trade Center de Nova York.

Outros cinco deles —três sauditas e dois emirados— redirigiram o vôo 175 de United Airlines, que tinha a mesma rota aérea, para chocar-lo contra a torre ao sul daquele complexo financeiro. Cinco sauditas sha Washingon-Los Angeles, para chocar contra a fachada do Pentágono.

Finalmente, quatro terroristas —três sauditas e um libanês— apoderaram-se do último avião, o vôo93 de United Airlines que cobria o trajeto Nova Camisola-San Francisco, mas o aparelho explodiu no campo do estado da Pensilvania antes de atingir seu objetivo.

Posteriormente, o grupo terrorista Al-Qaeda reivindicou a autoria destes atentados, nos que morreram mais de 3000 pessoas. Estes fatos deram pé à invasão do Afeganistão por parte dos EUA., no que supôs o início de sua denominada "guerra contra o terrorismo".

No entanto, na sentença do juiz nova-iorquino não há nenhuma referência nem menção para nenhum destes países e, em sua opinião, Teerã não conseguiu demonstrar que não participou com materiais aos autores dos atentados, pese a que nunca havia tido acusações a respeito contra o Irã.

Cabe acrescentar, segundo informe Bloomberg, que por enquanto é difícil obter uma indenização por parte de uma nação estrangeira não disposta a pagar, a falha facilitará aos demandantes tratar de aproveitar uma lei que permite se apoderar de ativos estrangeiros congelados pelo Governo estadounidense, o qual mostra a continuação dapolítica hostil dos EUA para com o Irã.

Ademais, cabe mencionar que a falha se emite no médio do enfado das autoridades estadounidenses pelo mais recente ensaio de mísseis balísticos por parte do Irã, pelo que procuram impor novas rodadas de sanções contra Teerã, que tem assegurado em reiteradas ocasiões que seu poder militar não representa ameaça alguma para outros países, já que a doutrina defensiva da República Islâmica arraiga unicamente na disuassao e que as provas de mísseis balísticos não violam nenhuma das resoluções da Organização das Nações Unidas (ONU), já que esses mísseis não estão desenhados para portar armas nucleares.

Add comment


Enlaces