Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
Saturday, 17 October 2015 17:03

Dia Mundial da Alimentação

Dia Mundial da Alimentação
Comemora-se hoje, 16 de outubro, o “Dia mundial de |Alimentação”, neste ano dedicado ao tema “Proteção Social e Agricultura: quebrando o ciclo da pobreza rural”.

 

Enquanto muitos de nós ficamos divididos ao escolher em qual “fast food” vamos comer, muitas pessoas não têm acesso a nenhum tipo de alimento. Você sabia, por exemplo, que mais de 800 milhões de pessoas vivem em uma situação denominada insegurança alimentar? Isso quer dizer que mais de 800 milhões de pessoas não têm acesso a uma alimentação saudável, de qualidade ou em quantidade suficiente para suprir suas necessidades.

Nos últimos anos, cerca de 150 milhões de pessoas superaram da extrema pobreza graças aos programas de proteção social.

Existe proteção social, quando os governos desenvolvem políticas e programas para enfrentar as vulnerabilidades econômicas, ambientais e sociais visando reduzir a insegurança alimentar e a pobreza. Programas de proteção social melhoram o acesso da população carente à saúde e outros serviços sociais, permitindo-lhes fornecer de forma sustentável para si e seus familiares.

Por esta razão, a FAO tem intensificado seus esforços para ajudar os governos e parceiros implantarem programas de proteção social em estratégias e políticas nacionais de desenvolvimento. E para atingir este objetivo estratégico global, torna-se absolutamente necessário o apoio à agricultura, visto que esta atividade consegue conjugar o aumento da produtividade, disponibilizando mais recursos alimentares, para quebrar o ciclo da pobreza e da fome.

Alimentos não seguros causam a morte de cerca de dois milhões de pessoas por ano, entre elas muitas crianças. Os alimentos podem conter bactérias nocivas, vírus, parasitas ou substâncias químicas, responsáveis por mais de 200 doenças, que vão de diarreia ao câncer. Novas ameaças à segurança alimentar surgem constantemente. Alterações na produção, distribuição e consumo de alimentos; alterações no ambiente; novos e emergentes patógenos; resistência antimicrobiana – isso tudo constitui desafios aos sistemas nacionais de segurança alimentar. As viagens aéreas e o comércio aumentam a probabilidade de que a contaminação pode se espalhar internacionalmente.

Nos países em desenvolvimento, grande parte da população pobre e desnutrida vive em área rural, e tem na agricultura uma fonte importante de renda.

Há evidência de que as famílias rurais pobres quando recebem assistência social, são mais capazes de gerir os riscos, sentindo-se financeiramente mais seguras. Com isso, elas tendem a aumentar os seus investimentos em atividades agrícolas e ter  uma vida mais rentável.

É preciso estimular a participação dos agricultores familiares nas políticas públicas, garantindo a eles acesso à terra e ao crédito, condições e tecnologias para a produção e para o manejo sustentável de seus estabelecimentos, além de garantias para a comercialização dos seus produtos, agrícolas ou não.

Agricultura pode ter se tornado um ator coadjuvante em muitas economias industrializadas, mas pode atuar como um ator principal no cenário mundial se vamos fechar a cortina sobre a fome. O Agronegócio é um termo guarda-chuva que engloba as companhias locais, nacionais ou internacionais que cuidam ou transformam o produto agrícola em seu percurso pela longa cadeia de abastecimento, até chegar ao consumidor. Esses comerciantes investem tipicamente capital próprio no transporte, processamento, atacado e varejo, vendendo mercadorias tais como arroz e trigo, produtos agrícolas de alto valor tais como vegetais e produtos de seguimento restrito como flores a varejo. Os supermercados estão se tornando os maiores atores na cadeia regional e nacional de abastecimento de alimentos, estabelecendo padrões e até mesmo o funcionamento transfornteiriço de cadeias de abastecimento.

Se a cadeia de abastecimento funciona bem com retorno suficiente sobre o investimento para todos, o primeiro contato – o produtor – ganha dinheiro suficiente para alimentar sua família e reinvestir. A geração de emprego criada pelos muitos comerciantes na cadeia de abastecimento permite que um maior número de pessoas viva decentemente. Há um declínio da Fome e um aumento das qualidade de vida.

O Dia Mundial da Alimentação celebra-se anualmente 16 de outubro, data em que se assinala a fundação da Organização para a Alimentação e Agricultura das Nações Unidas (FAO), organismo responsável a nível mundial pelas questões de alimentação. o dia 16 de outubro marca o dia da fundação da organização das Nações Unidas para a alimentação e a agricultura, em 1945. A celebração do Dia Mundial da Alimentação foi estabelecida em novembro de 1979 pelos países membros na 20ª Conferência da Organização das Nações Unidas para a alimentação e a agricultura. Neste dia realizam-se muitas atividades relacionadas com a nutrição e a alimentação.

O Dia Mundial da Alimentação de 2015 é dedicado ao tema “Proteção Social e Agricultura: quebrando o ciclo da pobreza rural” e procura sensibilizar para a importância de desenvolver políticas e programas que visam erradicar a insegurança alimentar e a pobreza no mundo, especialmente em zonas rurais. Na celebração de 2015 para o dia mundial da alimentação, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), pretende explorar a proteção social e a sua contribuição para extinguir a fome e a pobreza até 2030.  A escolha do tema deste ano prende-se, segundo dados publicados pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), com o facto de cerca de 150 milhões de pessoas com vulnerabilidades económicas superarem condições de extrema pobreza graças a programas de apoio. A organização tem vindo a aumentar os seus esforços para ajudar os governos e parceiros a implementar medidas para ajudar as populações mais necessitadas a terem acesso aos recursos e serviços básicos. 

Em mensagem, o secretário-geral da ONU disse que o destaque combina com o Ano Internacional da Agricultura Familiar. Segundo Ban Ki-moon, todos os dias, consumidores recebem alimentos gerados por esses agricultores que concentram na maior parte de terras produtivas no mundo.

O chefe das Nações Unidas lembrou ainda que hoje existem 100 milhões a menos de famintos que há 10 anos. O resultado reforça a visão da Organização para Agricultura e Alimentação, FAO, de alcançar a meta da fome zero em todo o globo.

Ban encerrou a mensagem pedindo mais apoio para os pequenos produtores e a agricultura familiar. Ele disse que esses trabalhadores estão em desvantagem no acesso à tecnologia, serviços e mercados.

Além disso, eles sofrem com condições extremas do tempo, mudança climática e degradação ambiental.

Condições iguais de trabalho e produção para as agricultoras também é um dos desafios do setor.

José Graziano da Silva, o diretor-geral da FAO, também numa entrevista falou sobre outras vantagens da agricultura familiar.

No Dia Mundial da Alimentação, a FAO alerta que 800 milhões de pessoas ainda não têm o suficiente para comer. E uma em cada três crianças está malnutrida.

Para aumentar o acesso à informação sobre segurança alimentar, a FAO anunciou uma parceria com a agência de notícias Thomson Reuters. O novo portal incluirá matérias sobre o tema além de manter um repórter especializado na sede da FAO em Roma. 

Comemorado em 16 de outubro, o Dia Mundial da Alimentação, data que coincide com a  fundação da FAO, pretende chamar a atenção para as questões relacionadas à alimentação saudável e estimular a consciência social sobre o problema da fome no mundo. Esta comemoração tem como principais objetivos:

  • Alertar para a necessidade da produção alimentar e reforçar a necessidade de parcerias a vários níveis
  • Alertar para a problemática da fome, pobreza e desnutrição no mundo
  • Reforçar a cooperação económica e técnica entre países em desenvolvimento
  • Promover a transferência de tecnologias para os países em desenvolvimento
  • Encorajar a participação da população rural, na tomada de decisões que influenciem as suas condições de vida
  • Aumentar a consciência do público
  • Disseminar informação
  • Alertar para a segurança alimentar
  • Mobilizar a opinião pública e angariar fundos para a luta mundial contra a fome

Add comment


Security code
Refresh

Enlaces