Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
Wednesday, 10 February 2016 09:45

Influência da Revolução Islâmica sobre a situação das mulheres no sistema internacional (especialmente para a Década de Aurora)

Influência da Revolução Islâmica sobre a situação das mulheres no sistema internacional (especialmente para a Década de Aurora)
IRIB- Em este programa vamos familiarizar os nos leitores com a influência da Revolução Islâmica no estatuto das mulheres no sistema internacional.

Estamos na véspera do trigésimo sétimo aniversário da vitória da Revolução Islâmica. Uma revolução que poderia, em todas as dimensões, especialmente cultural, sociais e políticos, criar mudanças importantes.

Um das fases bem sucedidas após a vitória da Revolução Islâmica foi à reforma das atitudes da opinião pública em relação às mulheres. A Revolução Islâmica em 1979 conseguiu proporcionar sua verdadeira posição a status da mulher na sociedade e reivindicou o seu prestígio e promoveu a sua autoestima. Neste comentário vamos tentar analisar o impacto da Revolução Islâmica em alterar a visão sobre as mulheres.

Se estudarmos a história da presença das mulheres em diferentes esferas, social cultural, científica e política no mundo, pode-se dizer que a presença atual de mulheres iranianas em diferente cenários do país não só tem tido um sucesso brilhante, mas de alguma forma essa presença influenciou muitos países, tornando-se gradualmente um modelo, graças ao fenômeno do século contemporâneo, ou seja, a Revolução islâmica iraniana.

Antes da vitória da Revolução Islâmica, havia dois pontos de vista em relação às mulheres na maioria dos países da região, ou como uma ferramenta ou passivas em relação das atividades sociais. A ocorrência da Revolução e graças aos pontos de vista islâmico apresentados pelo fundador da Revolução Islâmica, Imam Khomeini (Deus o abençoe), as mulheres ganharam um papel ativo, tanto durante a Revolução Islâmica e em ambientes sociais como após a revolução que de fato alcançaram o seu lugar humanitário.

Imam Khomeini, fundador da Revolução Islâmica, não só atendeu o papel das mulheres na família, mas destacou no seu relacionamento, especialmente na sociedade. De acordo com a sua recomendação, a mulher atuou em vários contextos sociais. A primeira presença das mulheres neste papel foi sua participação na vitória da Revolução Islâmica. Elas acompanharam ativamente homens nas marchas e protestos de rua, recuperaram a sua identidade e posição importante. A identificação de mulheres com a Revolução Islâmica ganhou um aspecto multidimensional contrario a que estavam acostumadas até então. Após a Revolução, na consequência da guerra imposta pelo regime baathista do Iraque contra o Irã, foi outra cena da manifesta da presença das mulheres no campo social. Neste período pode destacar o seu papel em resgatar, salvamento e socorro aos combatentes em campo de batalha, às vezes nas primeiras linhas da frente da guerra. A presença corajosa das mulheres iranianas durante oito anos de defesa sagrada não se limitou ao tratamento dos feridos ou tarefas domesticas, mas que elas atuaram diretamente na linha da frente. Elas depois da guerra permaneceram fortemente nas diferenças esferas sociais, têm participado nas variadas dimensões da sociedade e ombro a ombro com os homens, têm ajudado no desenvolvimento do país. Na mesma linha, hoje em dia as mulheres iranianas tornaram-se um modelo para as mulheres em toda parte do mundo islâmico. Asta caraterística valente da mulher iraniana e sua infinita paciência se tornaram exemplos da resistência e força para as mulheres em Gaza, Líbano, Síria, Iraque, e até mesmo em alguns países ocidentais.

O olhar moderado da Revolução Islâmica sobre as questões das mulheres tem influenciado o retorico extremista sobre o prestígio das mulheres no sistema internacional. Depois da era do Renascimento, o pensamento europeu foi baseado no materialismo e o humanismo. Esta época foi marcada por visões extremas que um exemplo é a teoria feminista. A teoria feminista se baseia na igualdade das mulheres com os homens na vida política, social e outros campos. De acordo com o feminismo, desde o início da história a mulher foi olhada sob a subordinação e sofreu muitas opressões. Portanto, o espírito que prevalece no movimento feminista foi à eliminação de restrições com base no sexo e rejeição de valores morais, o colapso do sistema familiar e caracterizado por relações frias e sem alma que substituindo a amizade, bênção, pureza e sinceridade. Assim, mesmo em algumas empresas aumentou a libertinagem, o aborto, o companheirismo sem nenhum registro oficial, a homossexualidade... Que ameaçavam a saúde da geração mais jovem e enfraqueceram o fundamento da família. Feminismo, nas comunidades ocidentais, embora tenha sido levada a cabo contra a tirania histórica, mas causou a eliminação dos valores, tradições e crenças religiosas e orientou a sociedade para um desvio.

A sociedade capitalista ocidental tem uma visão negativa em relação às mulheres. Na sociedade capitalista com base nos valores ocidentais, as mulheres são ferramentas como na economia mundial. Desta forma, família, valores morais tradicionais são ofuscados ou excluídos. A globalização orientada ao desenvolvimento acredita que as mulheres estão servindo da satisfação da luxuria que conduz ao isolamento, escravidão, humilhação e corrupção das mulheres. Na verdade, o feminismo radical, ignorando os verdadeiros valores e crenças, em última análise, prejudicou as mulheres.

Antes da vitória da Revolução Islâmica, o movimento feminista não só em muitos países ocidentais, mas também no Irã, teve êxito em alguns de seus programas e em cada parte da comunidade iraniana, desde a área da cultura e do cinema, escolas e universidades e mesmo na administração publicam, se testemunhou o espírito de libertinagem das mulheres. No entanto, a ocorrência da Revolução Islâmica e os ensinamentos decorrentes deste movimento proeminente, o feminismo foi considerado um corrente desumano. As políticas avançadas dos líderes religiosos da revolução sobre o prestígio das mulheres e suas críticas aos pontos de vista feministas ocidentais no cenário universal, faz com que as mulheres sejam vistas em um olhar recatado, correto e realista e se corrija as informações sobre a situação das mulheres, de tal forma que tomou a sua posição certa e distanciou do feminismo. Os pontos de vista de Imam Khomeini sobre as mulheres, como seres humanos, rejeitaram a atitude do Ocidente em relação às mulheres e se opôs ao diálogo vulgar a sua respeita e se impuseram valores da Revolução Islâmica, incluindo os que realçam a postura de mulheres.

Recuperar o prestígio e o carácter das mulheres no Islã depois da Revolução Islâmica causou contradições com as fechadas atitudes em relação às mulheres que se originaram nos pontos de vista wahabitas e grupos terroristas como Daesh. Para analisar as medidas de Daesh contra as mulheres como uma das expressões mais importantes da sua ideologia, é suficiente olhar para as ideias e os decretos de alguns sacerdotes ligados a estes movimentos pervertidos. De acordo com sacerdotes Wahhabitas, todas as mulheres são ruins, são consideram seres do mal e diabólicas, elas são proibidas de muitas atividades, como dirigir e se o fizerem, estão condenados aos severos castigos, os homens podem divorciar-se de suas esposas apenas com um torpedo (SMS), as mulheres não podem usar a Internet... Assim, vemos que os grupos wahabitas e Daesh consideram as mulheres como objetos sexuais e até mesmas compradas e vendidas como mercadorias.

A Revolução Islâmica enfrentou tais ideias extremas sobre as mulheres e criou uma mudança no pensamento e as tendências de mulheres e homens em diferentes sociedades. A senhora americana Melani Franklin, que adotou o nome de Marzieh Hashemi recentemente convertido ao Islã, sobre o impacto da própria Revolução Islâmica, diz: "me impressionou muito a revolução islâmica e da personalidade do Imam Khomeini e sua postura sobre o prestígio e características das mulheres e decidi pesquisar sobre o Islã. Assim me converti ao islamismo e sou muito agradecida.”.

O valor e os ensinamentos da Revolução Islâmica exaltou a posição das mulheres em diferentes áreas, tais como científico, cultural, social, etc..., considerando a cultura do Irã, depois da Revolução Islâmica e sua atitude em relação ao papel das mulheres nas atividades sociais, se proporcionou condições favoráveis para as mulheres na sociedade. Como resultado, ela teve papéis em vários locais públicos e níveis de gestão e tomada de decisão. As mulheres muçulmanas iranianas confiam nos princípios da teologia islâmica e valores baseados em conceitos tais como a ética, justiça e a luta contra a opressão, o que levou a opinião pública mundial a se solicitar sua presença nas cenas influentes de sistema internacional e em conferências e seminários de organizações não governamentais, entre outros, desempenhando assim um papel importante no processo da formação de outras mulheres a nível internacional.

Add comment


Enlaces