Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
domingo, 31 janeiro 2016 06:54

O xeque Ibrahim Zakzaki, Um lutador para o caminho certo(2ª parte)

O xeque Ibrahim Zakzaki, Um lutador para o caminho certo(2ª parte)
Neste artigo conheceremos as atividades do o xeque Ibrahim Zakzaki.

No tema anterior apresentamos-lhes algumas partes da vida cheia de altos e baixos do líder muçulmano da Nigéria o xeque Ibrahim Zakzaki. Mencionamos sua visita ao Imam Khomeini (que Deus o abençoe) e dissemos que, nesse encontro, se criou um interesse fixo na alma do xeque Zakzaki que provocou profundas e espirituais mudanças em seu interior. O clérigo nigeriano encontrou em Imam homeini inspiracoes práticas em diferentes aspectos como personalidade, religioso e político, e converteu se em um de seus discípulos e seguidores. Após aquele encontro, este grande homem Nigeriano, o xeque Ibrahim Zakzaki procedeu a conhecer a doutrina de Ahlul-Beit, e com seus feitos generosos e esforços incansaveis, converteu-se em um líder valente e justo pelas almas de seus compatriotas. Com sinceridade e esforços humanitários, ensinou na Nigéria às pessoas a amar a Ahlul Beit, em particular ao Imam Husein (a paz seja com ele). Fundou o movimento islâmico "Husein Bale" cujos membros com respeito a Zakzaki dizem: "o motivo de que o xeque atualmente ter muitos seguidores em menos de vinte anos e milhões de chiíes tem sido por sua maneira de atuar pacífica e tranquila. O xeque vem recebendo influência de grandes Imames". O resultado das atividades de Zakzaki durante três décadas tem tido um aumento considerável de sunistas e chiitas que sentiram se atraídos pelos ensinamentos de Ahlul Beit.

O xeque Ibrahim Zakzaki achou que o Islã é uma mensagem universal e não pertence só aos árabes senão a todas as pessoas de todas as culturas. Na opinião dele, o Islã nobre de Mohamad (cumpridos sejam para ele e seus descendentes) é uma religião cheia de amor, compaixão e união ,os membros de Ahlul-Beit são seus melhores representantes. O xeque nigeriano diz: "O Islã entende-se como uma mensagem mundial que muda nossa maneira de pensar mas,nossa cultura permanece em seu lugar, o que muda é a base espiritual e prática. Por exemplo, uma pessoa se antes não mentia por uma condição social, após converter ao Islã, não mente para satisfação de Deus e crer na vida após a morte no paraíso e no inferno. Este é o enfoque que têm todos os aspectos do comportamento de um muçulmano que encontra a verdade. Um muçulmano para acercar-se e satisfazer a Deus precisa que se comportar de maneira positiva em todos os aspectos". O xeque Ibrahim Zakzaki, a seguir enfatiza: "Todos os aspectos positivos que uma pessoa encontra após se converter ao Islã, se deve pelo poder de mudança que se chama monoteísmo". Um estudante nigeriano que se converteu ao Islã através dos ensinos do xeque Zakzaki, disse: "O xeque, a princípio de seu regresso do Irã no ano 1980, para apresentar suas novas crenças não falava sobre o xiismo senão propunha todos seus discursos e convites a baixo o título de irmandade "islâmica", isto é, a princípio fomos atraídos por seus comportamentos generosos e depois por sua religião". Graças aos ensinos do xeque Zakzaki, os xiitas da Nigéria mantem comportamentos islâmicos singulares. Eles inclusive não têm separado suas mesquitas de seus irmãos sunistas e muitas famílias pobres sunitas, estão baixo a proteção dos xiitas e justamente este mesmo caso tem provocado a crítica severa dos Al Saud. Recentemente após o desastre ocorrido em Mina, perto de Meca, na Arábia Saudita, o xeque Zakzaki dirigiu-se às casas dos sunistas afetados e consedeu-lhes o pesames pela morte de seus entes queridos nesta tragédia e eles também rezaram detrás do xeque xiita. Segundo outro de seus estudantes: "No entanto, os seguidores de Ahlul-Beit entre os nigerianos são muito populares. Toda pessoa sente confiança total em um xiita. Sabem que não dizem mentiras, não roubam e não contrariam à lei. Estes formosos comportamentos são resultado dos esforços incesantes do xeque Zakzaki".

A Nigéria ,após os esforços incansaveis deste grande e inocente erudito tem entre oito e 12 milhões de seguidores de Ahlul-Beit. Neste país africano, os seguidores de Ahlul –Beit, especialmente os seguidores do Imam Husein, em um movimento glorioso, mostram seus sentimentos e vontade. Milhões de muçulmanos viajam quilômetros a pé para chegar ao Huseinieh Baquit-olah, na cidade de Zaira, e participar em uma grande cerimônia de luto pelo Imam Husein juntos entre irmãos religiosos. De acordo com relatórios recentes, esta marcha autônoma, que tem sua origem no amor e sinceridade dos muçulmanos nigerianos, ocupa o segundo lugar quanto a magnitude após a caminhada de milhões de pessoas no Arbaein no Iraque. A cada ano aumenta o número de seguidores e disse que no ano passado mais ou menos dez milhões de nigerianos assistiram esta caminhada. Tudo isto é resultado da existência bendita do xeque Zakzaki na Nigéria.

Não obstante, o aumento dos muçulmanos interessado em Ahlul-Beit, na Nigéria, causou a preocupação de muitos em diversas partes, como na Arábia Saudita, Estados Unidos e o regime criminoso de Israel. Através de diferentes complôs e com influência que têm no sistema governamental e serviço de inteligência da Nigéria, tentam frear a origem nas mudanças do povo, isto é o xeque Zakzaki. Eles, desde faz muitos anos lhe têm medo. Desde quando fui um estudante valente na carreira de Economia. Agora quando todos os esforços do xeque Zakzaki conseguiu resultados, mais que nunca este clérigo enfrenta à ira de seus inimigos internos e externos. Os inimigos assustam-se que a inclinação crescente ao Islã na Nigéria cause a queda do Governo deste país e em seu lugar se instale um governo islâmico liderado pelo xeque Zakzaki. Eles também têm medo de que este clérigo se converta no segundo homeini que estabeleça um governo islâmico como no Irã e não permita a intervenção dos estrangeiros nesse país.

O sentimento da Arábia Saudita, e Estados Unidos, e também mesmo Governo da Nigéria, sobre a extensão dos muçulmanos no país africano tem desembocado um aumento das pressões ao xeque Zakzaki. No ano 2014, durante a manifestação pacífica do povo pelo Dia de al-Qods, revelou-se o fogo da fúria do governo na Nigéria que ordenou às forças de seu Exército a disparar indiscriminadamente sobre os marchantes o que provocou a o assassinato de três dos filhos do xeque Zakzaki. No entanto, este líder valente e inocente rezou sobre os corpos de seus três filhos e anunciou: "Eles são poucos ante os mártires de Karbala". Este erudito destacado por sua resistência tem demonstrado que, no caminho do Islã e a educação das pessoas piedosas, está pronto a sacrificar sua vida e a vida de sua família no caminho do Islã.

O último acontecimento desagradável na Nigéria foi em massa agressão do Exército da Nigéria às reuniões dos muçulmanos no dia de Arbaein no ano 2015. O Exército, em pretexto contra de que os xiitas tinham planejado atentar contra o chefe do Estado das Forças Armadas da Nigéria, atacou aos xiitas e matou mais de milhares deles na cidade de Zaria no Huseinieh Baquit-olah. O Exército também nesse mesmo dia atacou a casa do xeque Zakzaki e acabou com um outro grupo de pessoas presentes na moradia. Nesta tragédia dolorosa, o xeque Zakzaki e sua esposa acabaram feridos. As forças militares, depois, detiveram ao xeque Zakzaki e a sua esposa e levaram-nos a um lugar desconhecido. Os muçulmanos da Nigéria, depois dos violentos confrontos, em apoio a seu grande líder, todos os dias, realizaram amplas manifestações. O Governo teve medo da ira e, finalmente, no mesmo dia , informou que o xeque Zakzaki estava sendo tratado em um hospital e sua esposa graças a Deus estava viva.

 

O professor Taher Yahya, membro do Conselho Supremo dos Muçulmanos da Nigéria, que teve a permissão em visitar a este grande líder, disse que o exército disparou seis tiros ao xeque Zakzaki com o objetivo de assassina- lo mas não conseguiram. Acrecentou que o xeque Zakzaki, desta visita, só recordou que os recentes acontecimentos são muito lamentáveis.

O líder dos muçulmanos da Nigéria, o xeque Zakzaki, até agora não permitiu que os muçulmanos levantassem armas, e, por meios pacíficos, vem enfrentado os problemas e tratando com que os muçulmanos não se deixem levar pelos atos do Governo e o Exército nigerianos para atacar. No entanto, as forças militares atacam sem piedade aos muçulmanos nigerianos, têm feito mártires e ferido gravemente a seu grande líder. Enquanto os ensinos islâmicos e coránicas destacam que eles um dia responderão por suas atitudes e a opresão não sera sustentável.

 

Add comment


Security code
Refresh

Enlaces