Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
Thursday, 26 February 2015 09:07

Venha conosco ao Irã V

Apresentamos as nossas saudações a todos os nossos queridos ouvintes e os que estão interessados em conhecer o nosso belo país. Espera-se que este programa possa atrai-los e servir como motivo para visitar o nosso país e estabelecer relações entre povos e culturas.

 

 

 

Amigos, sem dúvida, tem recordado que no programa anterior fizemos conhecer a província de Fars. No programa de hoje vamos falar sobre a cidade Shiraz, a capital da província, um lugar considerado também a capital cultural do Irã, contando nestes instantes uma breve história desta cidade e de seus valiosos patrimônios históricos.

Convidamos os nossos ouvintes a nos acompanharem neste capítulo.

A cidade Shiraz, com a extensão de 340 km² é a capital da província Fars, localizada no sudoeste do Irã, situada a 1580 metros de altitude, ao pé das montanhas de Zagros, a 919 quilómetros ao sul de Teerã.

Shiraz é uma das maiores e belas cidades do Irã e, por suas valiosas obras históricas e suas maravilhas naturais, tem chamado sempre a atenção de turistas, tanto nacionais como estrangeiros, de tal modo que alguns tinham conhecido o Irã pela Shiraz. A sua população é a volta de 1.7 milhões, segundo ultimo censo.

Shiraz situa-se numa planície como o mesmo nome, a qual com uma extensão 400 km², em forma retangular. A planície fértil de Shiraz tem uma inclinação do este ao oeste, precisamente no oeste se encontram as fontes de águas naturais. Enquanto no este fica o lago de água salgada de Maharo, com uma superfície de 200 km².

Shiraz tem um clima temperado. A sua história é muita remota e tem muito referenciado nos documentos antigos, inclusive no período da dinastia Ilamida ou mesmo nas descobertas na região onde está localizado o Persepolis.

Na época do império Aquemênida, esta cidade se encontrava no caminho de Shush, capital do mesmo império, onde também tinha localizado o Persepolis. Na época Sassânida, as estradas que ligavam as  importantes cidades de Bishabur e Gur à cidade de Estakhr atravessavam o planalto de Shiraz. É evidente que esta região fértil, com um bom clima, e uma localização estratégica, sempre tivesse sido o centro das atenções de todos os governos daquela época.

Os arqueólogos, segundo os documentos e pelas escavações, afirmaram que a antiguidade de Shiraz se remonta à época anterior ao Islã. Os objetos históricos que estão no museu Metropolitano da Nova York, são testemunhas da glória de Shiraz na época dos impérios de Selêucida,  Partes e Sassânida. Em 1933, nas investigações que se levaram a cabo na região oriental da cidade de Persepolis, conhecido como Khazane, foram encontrados 30 pergaminhos de argilas, correspondentes a 496 a.C. escritas com a letra cuneiforme, pertencente à época do império de Ilamida, as quais continham informação sobre a forma de construção do loca e o tratamento dos obreiros. Estudar as escrituras evidenciou a data bem remota da cidade de Shiraz, mesmo durante o império de Aquemênida, e bem interessante mencionava que os operários que participavam na construção da cidade de Persepolis recebiam renumeração.

Mesmo com este antecedente histórica, mas a fama de Shiraz é mais notável na época pós-islâmica, já que neste período ela se expandiu e foi a capital de quatro dinastias e reinados de século IV a século XII da Hégira lunar, finalizado com o reinado Zandieh. Nestas épocas, Shiraz se tornou o centro cultural do reinado e foram criadas escolas, bibliotecas e muitas mesquitas.

Shiraz é a terra natal de dois grandes poetas, como Saadi e Hafez, cujos livros são dos mais importantes patrimônios literário do Irã e mundialmente conhecidos. É de notar que, além destes poetas, a cidade foi considerada o berço de outros sábios, místicos e poetas como Sibwie, Ibn Mogafa, Mulla Sadra, Qotb-e-Din Shirazi, o xeque Ruz Bahan e muitas outras personalidades. Por isso, desde o passado, ela é conhecida como a cidade “Dar ao Elm” (a casa da ciência).

Atualmente, Shiraz desfruta de uma posição estratégica por sua localização, já que é um ponto de conexão que une as rotas do norte ao sul e o leste ao oeste do país. As universidades qualificadas têm aumentado ainda a sua importância científica. Milhares de alunos estudam nas diversas universidades da província de Fars, nos variados cursos incluindo engenharia, medicina, ciências humanas e teologia islâmica.

Hoje em dia, os hospitais desta cidade podem realizar transplante de córnea, de fígado, de medula óssea, de coração, de implantes cocleares. Tudo isto, chamou atenção de turismo de saúde provenientes da região Golfo Persico.

Nas últimas décadas, as indústrias eletrônicas e de metalúrgicas da província de Fars também têm avançado consideravelmente. De tal modo que, a região se tornou um polo eletrônico.

Queridos amigos, as atrações da província Fars e a cidade Shiraz não se limitam aos que lhes acabamos de contar. Além das diferentes plantas  industriais universidades e os centros culturais existem na cidade muitos monumentos históricos e lugares sagrados, que têm aumentado a importância de Shiraz, entre as outras cidades iranianas.

A UNESCO tem reconhecido a Shiraz, pela variedade e as abundantes obras históricas e culturais, como uma das cidades culturais do mundo.

Estimados ouvintes, aqui termina o programa de hoje. Até ao próximo programa que iremos conhecer o patrimônio cultural desta cidade. Até então.

Add comment


Security code
Refresh

Enlaces