Este Website está sendo descontinuado. Mudamos para Parstoday Portuguese
quinta, 24 dezembro 2015 18:00

Venha conosco ao Irã- 36

Venha conosco ao Irã- 36
      Neste artigo vamos lhes apresentar outras informações sobre a cidade histórica de Tabriz, localizada na província do Azerbaijão Oriental.

 

A cidade de Tabriz, igual às outras cidades históricas do Irã, tem muitos monumentos históricos com a sua impressionante arquitetura e ornamentações de azulejos. Os deslumbrantes patrimônios culturais,  esta cidade é uma demonstração estética, artística da rica cultura desta terra.  Lamentavelmente, grande parte dos antigos monumentos históricos em Tabriz foi destruída, com a passagem do tempo ou bem por terramotos, inundações, invasões, invasões estrangeiros e também pela falta de atenção dos governantes.

Aquilo que se encontra hoje em Tabriz, pertence ao reinado de Ilkhan de Mongol e dos Sáfavidas com as suas próprias influencias e traços arquitetônicas, particularmente, os trabalhos feitos em azulejos. Uma das destacadas obras históricas da cidade de Tabriz é o seu mercado tradicional com desenhos espetacular, especialmente as cúpulas impressionantes que indicam a habilidade dos seus arquitetos iranianos.

A cidade de Tabriz está localizada no cruzamento entre Ocidente e Oriente (Rota da Seda), onde foi desde sempre o centro de intercâmbio comercial de comerciantes europeus e asiáticos, e apresentação dos produtos agrícolas e industriais de Tabriz a todas as partes do mundo. O comercio exigia que esta cidade tivesse diversos mercados e centros de negócio para fornecimento de diferentes mercadorias, por isso, foi criado um gigante bazar histórico na cidade, onde durante séculos era considerado um centro importante de Tabriz.

O bazar de Tabriz com uma superfície de mais de um milhão m2 é uma das mais amplas construções em tijolo do Irã, localizado no centro da cidade e um grande mercado coberto do mundo. Não se sabe a data exacta de sua fundação mas, segundo certos documentos, pertencia à época de Saljuqi. O Bazar de Tabriz foi destruído várias vezes, mas por sua importância, sempre foi restaurado e reconstruído. O atual bazar tem caraterísticas de dinastia de Zandieh e traços da época de Qajar, quase há três séculos.

Este bazar, sempre foi um dos centros de comercio mais importantes, onde além dos aspetos económicos e comerciais, desempenhou um inegável papel social, religioso e politico. O bazar em 1975 foi registrado na lista dos patrimônios nacionais e, segundo a lei, está protegido pela Organização iraniana de Patrimônio Cultural.

O bazar de Tabriz, como o primeiro mercado do mundo, foi registado na lista dos patrimônios mundiais da UNESCO em 2010.

Neste complexo existem mais de 160 diferentes elementos que têm tornado o mercado num lugar perfeito para realizar diversas atividades. O bazar contem múltiplos corredores, cruzamentos e as pequenas lojas, as mesquitas, os colégios, banhos e salões de pratica de esportes tradicionais.

Ele como outros mercados contêm diferentes partes tais como o mercado de Amir e o mercado Mozafarihe, cada um apresenta certas atividades.

O bazar, o pousado e o mercado de Amir são dos mais importantes mercados na cidade de Tabriz, onde atualmente são centros de exportação de tapetes, e também se encontram joalharias e lojas de tecidos. O fundador do mercado foi Mirza Mohamad-Khan Amir Nezam Zanguene em 1839.

A parte mais conhecida deste bazar é o mercado Mozafarihe em que foi acrescentado à obra inicial na época do príncipe Mozafar al-Din Mirzaye de Qajar em 1887 por Hajj Xeque Mohamad Jafar Qazwini, um conhecido comerciante da cidade.

Atualmente, o bazar Mozafarihe é o centro de venda de tapetes da província de Azerbaijão onde se exportam os tapetes da região e de outras províncias do país. Este bazar de dois andares contem 26 lojas de venda de tapetes.

Em soma, se pode dizer que o bazar de Tabriz com os seus aspetos históricos e artísticos tais como os tetos e cúpulas é uma das mais destacadas e impressionantes construções iranianas e é um monumento singular. Por isso, a maioria dos historiadores, os geógrafos, os escritores e os turistas escreveram notas interessantes sobre ele, os produtos e a situação comercial desta grande cidade. Dos famosos turistas que têm descrito em diferentes séculos o bazar de Tabriz poderíamos mencionar o Mogadasi, no século IV, Yagut Hamawi, no século VII, Ibn Batute e Hamdol-lah Mostofi no século VIII em que cada um fizeram anotações interessantes sobre o bazar.

O turista francês Jean Shardon, que viajou duas vezes ao Irã e em cada viagem se permaneceu seis anos no país, sobre a Tabriz e seu bazar escreveu: "Tabriz é uma grande cidade em que pala sua capacidade e amplitude são consideradas a segunda cidade do Irã. Em Tabriz não encontrei muitos monumentos ou palácios, mas vi o seu grande bazar. As lojas estão separadas uma da outra e encontram-se localizadas nas ruas pequenas que como as cumpridos e largos corredores estão cobertos com tetos com uma altura de cinco pés. É uma paisagem extraordinária e impressionante. O mercado é o coração da cidade. Os lares estão construídos fora do mercado que têm uma vista formosa aumentam a grandeza do bazar.”.

O turista marroquino Ibn al-Batute, também descreve o bazar de Tabriz como cheio de mercadorias, desenvolvido e um dos melhores mercados do mundo: "Quando cheguei a Tabriz, entrei no seu grande bazar chamado Qazan e era um dos melhores mercados que tinha visto em todas as cidades do mundo. Nele se encontram varias profissão e cada uma tem um lugar próprio no espaço.”.

Quando na época de Qajar, Tabriz era ainda como a segunda capital do país. Foram construídos casas, pequenos mercados e novos grandes mercados, onde atraíam os comerciantes de todas as partes do mundo. Desta época, o bazar de Tabriz chamou a atenção dos comerciantes nacionais e internacionais.

A senhora Hunt Smith Dorothy, em seu livro titulado “Lembranças do Oriente”, escreve da seguinte maneira sua visita em Tabriz em 1961: "Dentro do bazar existem múltiplos corredores principais e secundários com amplas superfícies que cruzam um ao outro. A cada loja media uns 10 pés, e estavam cheias de mercadorias. O teto do bazar esta coberto com tijolos de uma forma bem ordenado e em determinados espaços estão instalados janelas com grandes cristais, as quais inclusive nos dias que tinha nuvens aclaram o âmbito escuro dentro do bazar. Em todas as partes do mercado se encontram lojas.”.

 

 

 

 

Add comment


Security code
Refresh

Enlaces